Comerciante que desmaiou ao ser rendido por guardas municipais diz que ação foi “covarde”
Adriano Rosa, de 34 anos, foi rendido durante uma fiscalização da Prefeitura de Maringá | Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Maringá

Comerciante que desmaiou ao ser rendido por guardas municipais diz que ação foi “covarde”

Segurança por Luciana Peña em 08/04/2020 - 11:08

Adriano Rosa, de 34 anos, foi rendido durante uma fiscalização da Prefeitura de Maringá. Os fiscais tinham recebido a denúncia de que o lava-jato do comerciante estava funcionando, contrariando o decreto de isolamento. Adriano nega. Ele diz que quando os guardas chegaram estava na calçada da empresa conversando com o pai. Adriano foi preso e desmaiou novamente quando estava prestando depoimento.


 Ouça a reportagem completa:

As imagens da agressão contra um comerciante de Maringá estão rodando o mundo. Elas mostram o dono de um lava-jato, Adriano Rosa dos Reis, de 34 anos, sendo rendido por pelo menos meia dúzia de guardas municipais. O comerciante passa mal e desmaia. 

Tudo começou quando os fiscais da Prefeitura de Maringá receberam uma denúncia de que o lava-jato estava descumprindo o decreto de isolamento social. 

Imagens mostram os fiscais entrando no lava-jato que funciona na frente da casa do comerciante. Adriano aparece vindo logo atrás. [ouça no áudio acima]

Adriano diz que sentiu humilhado, numa ação que ele considerou covarde. [ouça no áudio acima]

Adriano foi preso e indiciado por desacato, resistência, dano ao patrimônio publico e infringir determinação do poder público. Na delegacia ele desmaiou novamente durante o depoimento.[ouça no áudio acima]

Adriano foi solto porque, segundo a família, o prefeito pagou a fiança de mil reais. 

A prefeitura divulgou uma nota afirmando que será aberta uma sindicância para apurar a conduta dos guardas municipais. 

Adriano diz que tem vários problemas de saúde: pressão alta, depressão e síndrome do pânico.