Júri condena 'Maníaco da Torre' a 31 anos e 11 meses de prisão
Foto: Victor Ramalho/CBN Maringá

Sentença

Júri condena 'Maníaco da Torre' a 31 anos e 11 meses de prisão

Segurança por Victor Ramalho em 01/06/2022 - 18:34

O julgamento foi realizado nesta quarta-feira (1º), no Fórum de Maringá. Roneys Fon Firmino Gomes, de 47 anos, foi condenado pelo homicídio e ocultação do cadáver de Roseli Maria de Souza, encontrada morta em julho de 2014, embaixo de uma torre de transmissão de energia.

Roneys Fon Firmino Gomes, de 47 anos, já cumpre pena de 44 anos de prisão na Penitenciária de Maringá desde 2015, pela morte de duas mulheres. Ele é acusado de matar, ao menos seis mulheres, seguindo o mesmo 'modus operandi'. O apelido 'Maníaco da Torre' vem por conta do acusado abandonar os corpos das vítimas próximo a torres de transmissão de energia.

Nesta quarta-feira (1º), Roneys passou por um novo júri popular, o 4º desde que foi preso pela primeira vez. O julgamento foi realizado no Fórum de Maringá e foi referente a morte de Roseli Maria de Souza, encontrada morta em julho de 2014, embaixo de uma torre de transmissão de energia, em uma estrada rural de Maringá.

O julgamento iniciou por volta das 8h, mas só foi encerrado por volta das 17h30. O Ministério Público do Paraná (MP-PR) pediu a condenação do réu pelo crime de homicídio e também pela ocultação de cadáver. Na explanação aos jurados, o Promotor de Justiça Edson Aparecido Cemensati, da 5ª Promotoria de Justiça de Maringá, afirmou que Roneys matava garotas de programa por conta do trauma que tinha com a mãe.

A defesa do réu contestou os argumentos e afirmou, mais uma vez, que a acusação não tinha materialidade. O júri, no entanto, optou pela acusação. Roneys foi condenado a 31 anos, 11 meses e 1 dia de prisão em regime fechado. Foram 30 anos pelo homicídio e mais 1 ano, 11 meses e 1 dia por ocultação de cadáver.

De acordo com o Promotor de Justiça Edson Aparecido Cemensati, o Ministério Público considera o resultado da sentença como justo. [ouça no áudio acima]

Segundo o advogado de defesa de Roneys, William Francis de Oliveira, a defesa entrará com um recurso de apelação, por considerar a pena excessiva, na comparação com os julgamentos anteriores. [ouça no áudio acima]

No dia 9 de junho, Roneys será julgado mais uma vez, agora pela morte de Mara Josiane da Silva, crime que levou o acusado para a prisão pouco dias depois do corpo da vítima ter sido encontrado.

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550