Mesmo com liminar, grevistas impedem saída de ônibus
Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Paralisação

Mesmo com liminar, grevistas impedem saída de ônibus

Cidade por Luciana Peña em 10/02/2021 - 09:19

Apenas um ônibus saiu da garagem da TCCC nesta quarta-feira(10), terceiro dia de paralisação dos motoristas. A maioria dos funcionários da empresa está na porta da garagem. São poucos os que querem voltar ao trabalho. 

Na manhã desta quarta-feira, o terminal urbano de Maringá estava vazio, pelo terceiro dia consecutivo.

Pouco depois das 7h, o ônibus que faz a linha 324 estacionou na área de desembarque. Estava vazio. Tinha acabado de sair da garagem.

O motorista não quis gravar entrevista, mas disse que grevistas estavam negociando a volta ao trabalho e aos poucos os ônibus sairiam da garagem.

Não foi o que aconteceu. A reportagem encontrou na porta da garagem da TCCC motoristas dispostos a manter a paralisação.

Segundo eles, apenas um ônibus deixou a garagem. Justamente o 324.

Um outro ônibus até tentou, mas foi impedido pelos grevistas que são a maioria.

Se há mais motoristas que querem voltar ao trabalho eles são poucos.

Uma liminar expedida nessa terça-feira determina que não haja nenhuma ação para impedir a saída dos ônibus.

Mas os motoristas Valério Junior e Marcelo Figueiredo dizem que a paralisação só termina se a empresa der garantia de pagamento dos salários futuros e benefícios atrasados. [ouça no áudio acima]

A Policia Militar esteve na porta da garagem, mas apenas para garantir a integridade física dos envolvidos, como determinou outra liminar judicial, explicou o 2° tenente Nilson Moraes. [ouça no áudio acima]

Representantes da empresa estavam na porta da garagem, mas não se pronunciaram.

A paralisação prejudica a população e incita o debate sobre a concessão do serviço.

Na Praça Rocha Pombo um cartaz pede para que a Prefeitura não ceda à chantagem da empresa, numa alusão ao discurso de grevistas de que a paralisação começou impulsionada pela própria concessionária que queria pressionar o município a ressarcir os prejuízos durante a pandemia.

A CBN entrou em contato com a empresa para comentar a informação e aguarda um retorno.