Maníaco da Torre: disputa está entre acusação e defesa
Reprodução/Oseias Miranda

Julgamento

Maníaco da Torre: disputa está entre acusação e defesa

Por Victor Simião em 14/03/2019 - 19:00
Player Ouça a reportagem

Roneys Fon Firmino Gomes está preso desde 2015. Ele confessou ter matado seis mulheres. E nesta quinta-feira (14) foi a júri popular para o julgamento de um desses casos: o da morte de Edinalva José da Paz, assassinada em 2010.

Firmino é conhecido como “maníaco da torre” porque os corpos eram deixados pertos de uma torre, em uma área rural. Ao longo do dia, ele foi ouvido, assim como testemunhas e outras partes envolvidas. No julgamento desta quinta-feira, Firmino negou ter assassinado Edinalva.

Durante a tarde, a acusação, feita pelo Ministério Público, e a defesa, por meio de dois advogados, fizeram o embate. Ambos os lados queriam convencer o júri composto por sete pessoas.
A promotoria disse que entre os indícios estão uma peça de carro, um celular, além de confissões feitas à polícia entrevistas à imprensa. Além disso, provas de outros inquéritos foram usadas para mostrar o conjunto da obra, explicou o promotor Julio da Silva.

A defesa falou o contrário. O celular é uma questão mal resolvida, e a utilização da imprensa não poderia se sustentar. O Ministério Público confundiu o júri, disse o advogado de defesa William de Oliveira. Ele também falou que uma testemunha de acusação mudou a versão que vinha sendo dita.

A CBN acompanhou o julgamento durante a manhã e a tarde. A sentença deve ser proferida durante a noite.
Roneys Firmino também é investigado por outros assassinatos. Em comum, o fato de as mulheres serem garotas de programa.

Notícias Relacionadas

Notícias da mesma editoria