55ª fase cumpre um mandado de busca e apreensão em Maringá
Divulgação

Operação Lava-jato

55ª fase cumpre um mandado de busca e apreensão em Maringá

Por Luciana Peña em 26/09/2018 - 09:13

Esta fase da Lava-jato é chamada de Operação Integração II que apura supostas irregularidades em concessões de rodovias federais.

Player Ouça o boletim

Atualizado às 11h: O mandado de busca e apreensão em Maringá  foi cumprido na concessionária Viapar, que por meio de nota informou:

" A Viapar reitera que sempre cumpriu todas as regras legais e está comprometida em atender ao contrato de concessão, de forma ética e transparente.  A empresa sempre esteve à disposição das autoridades públicas para auxiliar nos esclarecimentos necessários para a elucidação dos fatos.A concessionária vai se pronunciar prontamente junto às autoridades assim que se inteirar totalmente dos autos."

 

A Operação Integração II é a 55ª  fase da Operação Lava-jato e apura crime de corrupção ligado à concessionárias de rodovias federais no Paraná, que fazem parte do Anel de Integração. Participam da operação 400 agentes entre policiais federais, auditores da Receita Federal e integrantes do Ministério Público Federal.  Estão sendo cumpridos 73 mandados de busca e apreensão, três de prisão preventiva e 16 de prisão temporária, nos estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro.

No Paraná, são 59 mandados, todos de busca e apreensão e um deles em Maringá.  Na primeira Operação Integração, a Polícia Federal reuniu provas, analisou dados e ouviu depoimento de delatores em colaboração premiada. Com as informações conseguiu identificar núcleos que agiam de forma organizada para obter benefícios ilícitos em contratos de concessão de rodovias.

No núcleo político há autoridades de Estado e no núcleo técnico, agentes públicos e funcionários de concessionárias. Entre as irregularidades apontadas estão a elaboração de aditivos fraudulentos  e planilhas falsas que indicavam desequilíbrio financeiro de concessionárias. O objetivo final, segundo a PF, seria o pagamento de propinas.