Riqueza se mede e mantém pela qualificação humana
Pixabay

Opinião

Riqueza se mede e mantém pela qualificação humana

O comentário de Gilson Aguiar por Gilson Aguiar em 04/12/2020 - 09:54

De repente nossos olhos ficaram arregalados diante do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre, 7,7%. Positivo diante de uma grande quantidade de notícias ruins que abalaram diversos setores. Uma recuperação necessária e que aponta melhora. 

Os números não superam o pré-crise e ainda falta muito para pensarmos em um crescimento real além de 2019. As perdas no comparativo do terceiro trimestre deste ano com o ano passado é de 3,9%. No acumulado do ano, 5%. A jornada é longa.

Quando falamos em jornada de recuperação temos que entender com o que contamos e o que podemos esperar do futuro. É com o olho no horizonte que se caminha quando o assunto é recuperação. E nesse ponto estamos longe de termos segurança.

Se pensarmos que a ajuda emergencial do governo qual será o futuro? Não estamos diante apenas de uma economia que cresce com o que temos, ela é lenta em sua retomada com o potencial que temos. O futuro depende do que estamos fazendo com o presente. É preciso qualificar as pessoas e fazer com que sejam solução para os gargalos de mão de obra que vivemos há um bom tempo.

Na vida pessoal as coisas não são diferentes. Temos que aprender a conduzir o que somos diariamente. Pensar nos atos de forma racional porque há um amanhã. Colheremos o que plantamos. Educação não é apenas a transmissão do conhecimento, informar o que deve ser feito ou que se tem que saber. Interiorizar e articular saber com fazer é o objetivo de educar. Ter conhecimento não significa saber usá-lo de forma correta e no lugar certo.