“Quero ser presidente do Haiti”, diz secretário
Foto: Arquivo/PMM

Cidadania

“Quero ser presidente do Haiti”, diz secretário

Política por Luciana Peña em 15/11/2021 - 10:54

O primeiro haitiano a ocupar um cargo no alto escalão da administração pública em Maringá, e talvez o único no país, sonha em ser o presidente da República do Haiti, uma nação pobre que sofre com a instabilidade política. Emmanuel Predestin, secretário de Juventude e Cidadania de Maringá, que vive há 11 anos no Brasil, está se articulando com haitianos espalhados no mundo todo para realizar um sonho de infância.

Transformar o país onde você nasceu num lugar próspero e justo para viver talvez seja o sonho de muitas crianças de nações pobres.

Mas ao crescer, quando a realidade se impõe, os sonhos mudam e o que muitos adultos querem é migrar para países desenvolvidos.

O haitiano Emmanuel Predestin veio para o Brasil logo depois do terremoto que matou milhares de pessoas.

Era janeiro de 2010 e ele estava prestes a iniciar a faculdade na única universidade pública do Haiti, em Porto Príncipe.

Sobreviveu ao terremoto, nas palavras dele, por um milagre, porque ao seu redor tudo foi engolido pelo cataclisma.

Um mês depois embarcava de carona num avião da Força Aérea Brasileira com destino a Boa Vista, capital de Roraima.

Ele tinha conseguido, graças a um professor haitiano que vivia nos Estados Unidos, a chance de ingressar num programa de estudos no Brasil.

Fez agronomia na Universidade Federal de Minas Gerais e em 2015 veio para Maringá onde fez mestrado em genética e melhoramentos na Universidade Estadual.

Atualmente cursa doutorado em biotecnologia, também na UEM. O doutorado será concluído em 2022. A conclusão seria este ano, mas o orientador e amigo de Emmanuel, o professor João Panfhile, morreu de Covid-19.

Neste meio tempo, Emmanuel foi nomeado secretário Municipal de Juventude e Cidadania, o primeiro haitiano a ocupar um cargo de alto escalão na administração pública em Maringá e talvez no Brasil.
Emmanuel sempre acreditou na educação. No ensino médio, acordava às 5 horas da manhã para copiar o conteúdo dos livros didáticos dos amigos que estudavam em escola particular porque lá no Haiti, os alunos de escolas públicas, como ele, aprendiam com meses de atraso. Depois dava aula de reforço em troca, às vezes, de um prato de comida.

E Emmanuel quer continuar estudando, porque a criança dentro dele ainda sonha com um Haiti melhor.

Ele quer voltar para o Haiti e ser presidente da República. [ouça o áudio acima]

Emmanuel não está sozinho neste sonho. Há haitianos em várias partes do mundo que estão se articulando. [ouça o áudio acima]

O Haiti tem 10 milhões de habitantes, é do tamanho do estado de Sergipe e o regime de governo é uma República mista com presidente e primeiro-ministro. Em julho, o presidente do país foi assassinado. Atualmente o Haiti é governado por um presidente interino.

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550