Líderes religiosos são indiciados por tráfico de pessoas, diz polícia
Durante a operação, as equipes encontraram as pizzas que seriam vendidas pelas crianças. Todas estavam em condições impróprias para o consumo, segundo a Vigilância Sanitária. Foto Divulgação/Polícia Civil

Investigação

Líderes religiosos são indiciados por tráfico de pessoas, diz polícia

Segurança por Letícia Tristão em 03/08/2021 - 14:59

As investigações concluiram que onze crianças eram submetidas a trabalho análogo a escravidão. A família foi alvo de uma operação do Nucria.

A Polícia Civil concluiu o inquérito da investigação. Os líderes religiosos e a secretária de igreja foram indiciados por tráfico de pessoas com a finalidade de trabalho análogo à escravidão além de associação criminosa e subtração de incapaz.

A operação que investigava os crimes foi desencadeada no dia 23 de julho pelo Nucria, o Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Segundo a polícia, a família que liderava a igreja é suspeita de forçar crianças e adolescentes a venderem pizzas em nome da instituição religiosa em condições degradantes, de jornada exaustiva e com punições.

A polícia ouviu 31 testemunhas e concluiu que 11 crianças e adolescentes eram submetidas a esse trabalho, como explica a delegada do Nucria, Karen Nascimento. Segundo ela, dois investigados não se manifestaram no depoimento e um negou as acusações. [ouça o áudio acima]

O caso foi encaminhado ao Ministério Público.

A reportagem entrou em contato com a defesa dos investigados, que informou que irá se manifestar posteriormente sobre o caso (4).

Atualizado às 17h15: Em nota, a defesa dos investigados afirmou que as acusações são “inverídicas” e que “destoam da realidade''. Afirmou ainda que “no momento e meio adequados'" será provada a inocência dos clientes.

 

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550