Jovem de Maringá é diagnosticada com Covid-19 três vezes
Foto: Reprodução/Facebook

Pandemia

Jovem de Maringá é diagnosticada com Covid-19 três vezes

Saúde por Lethícia Conegero/GMC Online em 24/06/2021 - 20:59

Uma jovem de 24 anos, moradora de Maringá, foi diagnosticada com Covid-19 três vezes. Giovanna Morotti Ramos relatou a situação em sua página no Facebook nessa terça-feira (22), e fez um desabafo.

A primeira vez que a jovem foi diagnosticada com Covid-19 foi em julho do ano passado. “Não sei ao certo como contrai o vírus. Na época morava com meus pais e quase não saia de casa. Fiquei internada no Hospital Universitário de Maringá por 17 dias, com tubos, medicações, furos todos os dias e inúmeros exames, em isolamento total. Minha companhia eram as enfermeiras e a equipe hospitalar, que vinham várias vezes ao dia. E mãe, pai, avó, tia, primo, uma amiga e um amigo, que me ligavam e mandavam mensagens”, relatou a jovem na publicação.

Em novembro do ano passado, Giovanna foi diagnosticada com covid-19 pela segunda vez. Ela conta que foi infectada no ambiente de trabalho. “Contrai o vírus no ambiente de trabalho, onde eu fazia bicos fixos, pois estou sem emprego desde maio/2020. Lá tive contato com uma pessoa que estava ‘só com uma gripe’. Tive poucos sintomas e logo fiquei bem, nem parei de trabalhar, pois precisava do dinheiro”, explicou.

O terceiro diagnóstico ocorreu em abril deste ano. De acordo com Giovanna, ela foi infectada no transporte coletivo de Maringá. “Havia conseguido um serviço e estava com 2 semanas trabalhadas na experiência. Eram necessários dois ônibus para ir e mais dois para voltar, sempre em horários de pico e lotados. Passei mal no ambiente de trabalho e fui encaminhada ao hospital com o Suporte Avançado do Samu. Fiquei na UPA Zona Sul por 4 dias com respiradores, medicamentos e exames”, destaca.

Quando recebeu o diagnóstico de Covid-19 pela terceira fez, a jovem conta que procurou os órgãos de saúde de Maringá para que fizessem uma análise sobre o seu caso. Ela diz que, na ocasião, foi informada que tinha anemia. “Disseram que tenho anemia de ferro, que meu corpo aderiu ao vírus e não combate totalmente. Que a doença adormece em meu corpo e quando a imunidade abaixa mais ela acorda, que deveria me isolar, parar de trabalhar e iria pegar várias vezes e que não havia o que ser feito, deveria esperar minha faixa etária para imunização com as vacinas”, afirmou a jovem na publicação.

Na publicação, Giovanna chegou a dizer que havia sido infectada pela Covid-19 pela quarta vez, mas a administração municipal informou que o último exame, feito neste mês, deu negativo. “A Prefeitura de Maringá, por de meio da Secretaria de Saúde, informa que há registros de três coletas positivas da paciente. Em julho, novembro e abril. O último exame dela deu negativo”, diz a nota enviada à reportagem do GMC Online. A jovem atualizou a publicação com essa informação.

Giovanna relatou, ainda, que ficou com sequelas no pulmão, rim e fígado, e que contraiu asma e sente taquicardia. “Meu corpo treme, me sinto sem forças e não aguento mais tudo isso. […] Será que vou aguentar? O que eu faço? Tudo é passageiro, valorize o agora!”, finalizou a jovem.

A médica infectologista Ana Cristina Medeiros Gurgel, que atua no Hospital Municipal de Maringá, informou que os exames da jovem foram encaminhados para o Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen) para comprovar a possível reinfecção.

Acesse GMC Online

 

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550