Defesa de Murillo Barbosa pediu que júri fosse remarcado
Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Caso Jaciara

Defesa de Murillo Barbosa pediu que júri fosse remarcado

Segurança por Luciana Peña em 25/08/2021 - 10:56

A alegação é que uma tentativa de feminicídio no dia anterior em Sarandi poderia gerar comoção. O juiz não aceitou o pedido. A acusação quer que o réu confesso seja condenado por homicídio com quatro qualificadoras, entre elas o feminicídio e motivo fútil. 

O júri popular que vai julgar Murillo Barbosa, acusado de matar Jaciara Kogler em janeiro de 2020, começou por volta das 10h desta quarta-feira (25).

Antes disso, houve a escolha dos jurados. O Conselho de Sentença é formado por quatro homens e três mulheres.

Na noite dessa terça-feira (24), a defesa tentou remarcar o julgamento, alegando que houve uma tentativa de feminicídio em Sarandi o que poderia gerar comoção, segundo disse a advogada Josiane Monteiro, que representa a família de Jaciara, na assistência da acusação. [ouça o áudio acima]

Jaciara Kogler foi assassinada dentro de casa. O crime foi presenciado por uma das filhas de Jaciara, na época com oito anos.

A polícia descobriu por meio de imagens de câmeras de vigilância que Murillo saiu do trabalho, na tarde do crime, levando um capacete de motociclista cor de rosa, que era de Jaciara.

As imagens mostram Murillo voltando para o trabalho, mas sem o capacete, que foi encontrado no local do crime.

A família espalhou cartazes na frente do Fórum Estadual em Sarandi pedindo justiça. A irmã de Jaciara, Genahilda de Lima, conta que a família ainda sofre muito. [ouça o áudio acima]

No plenário do júri não é permitida a entrada com celular.

A CBN ainda não conseguiu falar com a defesa de Murilo Barbosa.