Covid-19 desafia o juízo de cada um
Pixabay

Opinião

Covid-19 desafia o juízo de cada um

O comentário de Gilson Aguiar por Gilson Aguiar em 25/11/2020 - 08:05

Discursar para que as pessoas tenham responsabilidade em relação ao seus atos é “lugar comum”, fala constante e permanente. Uma retórica vazia que embeleza a crônica e nunca se transformou em ação, em fato. Agora, com a pandemia, como era e é com a Dengue, os discursos de ação consciente e responsabilidade que temos sobre a vida das pessoas se destaca.

Apesar da retórica, porque as pessoas não reagem? 

Lembro que se falava do novo normal, nada seria o mesmo. A sociedade se tornaria mais sensível às questões que atingem o bem comum. Passar por um problema de dimensões planetárias exalta a solidariedade social? Nosso instinto de sobrevivência enquanto espécie poderia nos unir? Nossa consciência coletiva desperta e ficamos mais coesos diante da ameaça comum? A resposta é que apenas para alguns estas questões fazem sentido.

A grande maioria dos brasileiros quer ao máximo voltar ao normal. Retomar sua vida e esquecer qualquer ameaça a sua segurança e lugar comum. Focar nas preocupações cotidianas possíveis de serem dominadas e justificadas. Nada que exija de um ser humano mais do que ele pode dar. Estamos todos no mesmo barco, remar não é ato comum. Logo, os que se cansam do mesmo pegam o remo. 

Logo, observe que a humanidade caminha, muda, enfrenta desafios e os supera. Isto não é um ato de todos e sim o arrasto dos que fazem toda a diferença. Aqueles que no final contam e geram a sensação de que ser humano vale a pena. Temos que acreditar e agir. Continuar a falar de consciência e lutar por ela. Nunca silenciar. Em nome do que chamo futuro que virá para todos e que se constrói felizmente pela coragem, ciência e consciência de alguns.