Após interdição de casa de repouso para idosos, MP faz alerta
Imagem ilustrativa de Sabine van Erp por Pixabay

Maringá

Após interdição de casa de repouso para idosos, MP faz alerta

Cidade por Luciana Peña em 22/07/2020 - 10:05

Uma casa de repouso foi interditada pela Vigilância Sanitária e pelo Ministério Público de Maringá nessa terça-feira (21). No local foram constatadas irregularidades como alimentação precária.


O asilo já estava sendo monitorado por causa de casos de Covid-19. Foi a terceira instituição de longa permanência para idosos interditada na cidade desde dezembro de 2019. O Ministério Público faz um alerta para as famílias: é preciso acompanhar de perto o tratamento dispensado aos idosos nestas casas de repouso.

O Ministério Público e a Vigilância Sanitária de Maringá fiscalizam com rigor o funcionamento das instituições de longa permanência para idosos que existem na cidade.

Essa fiscalização constante permite identificar casos de maus-tratos a idosos.

De dezembro até agora três casas de repouso foram interditadas e um casa clandestina foi fechada. A situação mais recente foi nessa terça-feira. Uma casa de repouso foi interditada.

Os proprietários têm prazo de 48 horas para acomodar os idosos em outro local ou comunicar os familiares para que eles sejam acolhidos.

A promotora de Justiça dos Direitos da Pessoa Idosa, Michele Nader, diz que entre as irregularidades constatadas está a alimentação precária. [ouça no áudio acima]

Neste asilo, a Vigilância sanitária já estava monitorando casos de Covid-19.[ouça no áudio acima]

O Ministério Público faz um alerta. Não basta apenas a fiscalização do Poder Público. As famílias também são responsáveis por conferir o tratamento dado aos idosos, até para não estimular a abertura de asilos clandestinos.

Por exemplo: se o idoso perder peso, pode haver deficiência na alimentação, se ele apresentar problemas de pele pode ser que as roupas não estejam sendo lavadas em lavanderia industrial como determina a norma sanitária.

É possível também se informar sobre a instituição que abriga idosos no próprio Ministério Público ou na Vigilância Sanitária.

E ter sempre em mente que o direito do idoso é permanecer na companhia de familiares. [ouça no áudio acima]

As informações sobre nomes de instituições interditadas devem ser obtidas junto à Vigilância Sanitária.