A sétima legislatura - História das Eleições

Podcast

A sétima legislatura - História das Eleições

Podcast por Reginaldo Dias em 15/10/2020 - 12:38

O História das Eleições é apresentado pelo professor e historiador Reginaldo Dias.

Ouça o 19º episódio:

Olá, pessoal, nosso tema de hoje é a sétima legislatura da Câmara Municipal, composta pelos vereadores eleitos em 1976.


Expressando a exitosa estratégia eleitoral que garantiu a conquista da prefeitura, a legenda da Arena obteve 13 das 21 cadeiras, deixando ao MDB oito cadeiras.


Seis vereadores foram reeleitos da sexta para a sétima legislatura: Antenor Sanches, Carlos Alberto de Paula, Eli Pereira Diniz, Kazumi Taguchi, Midufo Vada, Tercio Hilário de Oliveira.


No final daquela legislatura, os vereadores Ferrari Junior e Tadeu Bento França foram eleitos para a Assembleia Legislativa. E o vereador Noboru Yamamoto seria eleito vice-prefeito, na chapa encabeçada pelo médico Said Ferreira.


Uma novidade foi a eleição do primeiro vereador nascido no município, o engenheiro Arlindo Teixeira.


Depois do intervalo da legislatura anterior, a Câmara Municipal voltou a contar com uma vereadora em sua composição, a professora Lizete Ferreira da Costa.
Por motivos de ajustes no calendário eleitoral, o mandato dos vereadores e do prefeito foi ampliado para seis anos. Desta maneira, houve três gestões de dois anos cada na presidência da casa. Foram presidentes, nesta ordem: Antônio Paulo Pucca, Noboru Yamamoto e Maurílio Correia Pinho.


Um fenômeno eleitoral recorrente na década de 1970 e na seguinte foi o sucesso de comunicadores que se apresentavam como candidatos. Em 1976, dois ícones das transmissões esportivas pelas emissoras de rádio disputaram, com sucesso, uma cadeira na Câmara Municipal, transferindo para as urnas a rivalidade que mantinham na disputa da audiência esportiva. Eu me refiro aos populares radialistas Antônio Paulo Pucca e Arleir Ferrari Junior.


Pucca foi o segundo mais bem votado. O campeão de votos foi Ferrari Junior, que obteve 4.956 votos, o que equivalente a 7.65% dos votos válidos.


A votação obtida por Ferrari Junior foi resultado de uma dupla influência: a enorme popularidade que já detinha como comunicador esportivo e a comoção popular gerada por um acidente que sofreu em um elevador de um edifício. A sua recuperação foi duplamente comemorada e prestigiada pelos eleitores.


Em número absolutos, Ferrari Junior se tornou o vereador mais bem votado da história. Os números obtidos por Ferrari foram tão impressionantes que só foram ultrapassados em 2004, quando a população do município havia triplicado. Em números relativos, proporcionais ao universo de votos válidos, ele ainda é o segundo da história, atrás apenas do resultado obtido por Eli Pereira Diniz na eleição anterior.