Vale, bombas, motos, multas, candidatos e móveis estragados
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20 (Arquivo/CBN)

O Assunto é Política

Vale, bombas, motos, multas, candidatos e móveis estragados

Por Diniz Neto em 19/02/2019 - 10:07
Player Ouça o boletim

NOVA LICITAÇÃO PARA O VALE-ALIMENTAÇÃO

No momento em que o Sismmar pede a elevação do vale-alimentação de R$ 312,50 para R$ 500, a Prefeitura publica um novo edital para contratar empresa para administrar o vale.

A empresa vencedora da primeira licitação, em 2017, a Verocheque, não vai renovar o contrato, que termina em março. A informação foi de Victor Simião, no começo da noite de ontem, aqui na CBN.

A nova licitação prevê o pagamento do vale para 13.600 servidores, totalizando R$ 51 milhões por ano.

Fazendo as contas, percebemos que R$ 51 milhões, divididos por 13.600 servidores, dá R$ 3.750 por servidor, por ano. Dividido por 12 meses, temos R$ 312,50.

Pelo menos na nova licitação não está previsto aumento do valor do vale e nem a sua concessão a aposentados.

Aliás, vários ouvintes se manifestaram ontem, contrários ao pagamento de vale para aposentados. Muitos também disseram que não é certo pagar vale alimentação para servidores em licença.

Uma servidora fez uma postagem em rede social afirmando que o Sismmar sabe que é ilegal conceder vale-alimentação para aposentados, mas mesmo assim colocou na proposta de reajuste salarial. Disse que está ao lado do sindicato na campanha salarial, mas não concorda com este item da pauta, que considera ilegal.

O PROBLEMA ESTÁ NA BOMBA?

Na quinta-feira, 14 de fevereiro, registrei aqui na coluna o seguinte:

Um internauta que acompanha a CBN escreveu assim nos comentários da notícia sobre auditoria do Procon nos postos de combustível: “O problema está na bomba”, se referindo à necessidade de auditar se o que as bombas marcam correspondem ao que elas de fato indicam.

Ontem, Carina Bernardino fez reportagem sobre fiscalização do Ipem nas bombas e, de fato, é significativo o número de bombas com irregularidades.

A Regional Maringá do Ipem - Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Paraná realiza desde o dia 2 de janeiro a fiscalização de 5.150 bombas de postos de combustíveis de 109 municípios da região, incluindo Maringá. Até o momento, 1.940 foram verificadas e 341, reprovadas. Cerca de 17%. Desse total, 161 reprovações foram em Maringá.

No balanço parcial da fiscalização regional, foram aplicadas 28 multas. E a maior parte por causa de má regulagem do equipamento. Quando isto acontece, o consumidor leva menos produto do que foi informado na bomba. Segundo o gerente do Ipem em Maringá, Michel Ravazi, esta não foi a única irregularidade encontrada. É que existem outros problemas em relação a vazão do combustível. Ele também destaca a alteração de uma legislação federal, que reduziu a tolerância de erro contra o consumidor.

SEM SIMPLES

710 mil micro e pequenas empresas perderam o Simples após 31 de janeiro, no país.

O deputado federal Rubens Bueno recebeu documento do advogado e contador de Maringá, Juarez Firmino, e encaminhou à equipe econômica um pedido para que este prazo seja prorrogado por um ano.

GULOSOS

O deputado estadual Plauto Miró (DEM), fez um discurso forte ontem na Assembleia Legislativa, complementando discurso que fez na semana passada, em que chamou alguns deputados de “gulosos”. Ontem ele completou: “Não aceito! Não jogo minha história no lixo e por isso cumpro o dever de advertir o Paraná. Pois acredito que um estado se faz com atitudes e não com jogadas de marketing. Quem alerta não quer o mal.

Torço para que o governo, cuja eleição apoiei, abrindo dissidência em meu partido, seja de esplendoroso sucesso. E para isso, a gestão que se inicia não pode começar com agentes novos repetindo erros antigos.”

MÓVEIS DANIFICADOS

Fiquei sabendo que carteiras e cadeiras novas, para salas de aula da Prefeitura, se estragaram em razão de chuvas no local onde estão guardadas. Isso novamente está acontecendo no barracão do almoxarifado do patrimônio.

Os móveis estão estufados e nem sequer foram distribuídos. Nem receberam as plaquetas de controle patrimonial.

VEREADOR QUER APURAR

Existe uma denúncia de que os taxistas do aeroporto fotografam carros de supostos motoristas de aplicativos e passam para os agentes de trânsito multarem. Foto circula na internet, onde uma pessoa mostra um celular para um agente, que aparentemente faz uma multa. Claro, a foto não serve como prova. Mas o fato é que motoristas de aplicativos estão recebendo muitas multas no aeroporto e em outros lugares.

O vereador Sidnei Telles já reportou o problema à Secretaria de Mobilidade Urbana. Ele escreveu o seguinte: “já fiz uma denúncia deste tipo, mas não era no aeroporto. Como vereador falei na Semob me disseram que iriam investigar, mas não acreditavam que os agentes fizessem multas sem estarem presentes. Me parece que logo se comprovará”.

MOTOS

A Prefeitura entregou ontem 6 motos Yamaha MT 07, com quase 700 cilindradas, para a Guarda Municipal. O valor unitário teria sido de R$ 45.900. A internet se encheu de publicações mostrando que as motos estão cotadas no mercado a um valor pelo menos 20% menor, sem contar que o desconto para compra de seis unidades deveria ser maior. 
A alegação de que a diferença é para os equipamentos também foi bastante contestada, inclusive com publicação dos preços dos equipamentos cotados em sites de vendas na internet.

Outra dúvida levantada é sobre a potência das motos compradas, de 689 cilindradas: Porque motos tão potentes? Motos de 350 cilindradas, bem mais baratas, fariam o trabalho, afirmam pessoas que conhecem o setor.

LATAM

Dizem que a Latam está para vir para Maringá. Para isto, a empresa espera redução de ICMS dos combustíveis para a aviação. Em São Paulo a redução proposta foi de 25% para 12%.

No Paraná, assim como em outros estados, essa redução representa uma renúncia fiscal de muitos milhões.

A pergunta é: o que a empresa de aviação oferece ao Paraná e a Maringá, além de se beneficiar da redução do imposto? Tarifas mais baratas? Outras vantagens para os passageiros? A situação é igual em outros estados.
Com o atual valor que as empresas estão praticando nas suas tarifas não adianta muito aumentar o número de voos.  

PATRIOTA

O advogado Eliseu Alves Fortes, que fez parte da campanha e da administração, sendo hoje um dos seus maiores críticos, é pré-candidato a prefeito pelo Patriota. Está formando chapa de vereadores e fazendo contatos.

Notícias da mesma editoria