Após dois anos, Prefeitura abre nova licitação para o vale-alimentação
PMM

Pregão

Após dois anos, Prefeitura abre nova licitação para o vale-alimentação

Por Victor Simião em 18/02/2019 - 19:10

É que empresa que presta o serviço atualmente decidiu não renovar o contrato. Para certame, Maringá pretende gastar até R$ 51 milhões. Município descarta a possibilidade de problemas para quem utiliza o vale. 

Atualizado 19/02/2019 às 14h20: Por meio de nota, a Verocheque disse que a decisão de não renovar o contrato foi uma medida estratégica da empresa. Apesar disso, a operadora de cartões relatou ter interesse em disputar essa nova licitação para o serviço em Maringá. Por fim, escreveu que manteve relacionamento cordial com o município ao longo dos dois anos de serviços prestados. 

Player Ouça a reportagem

Após dois anos, a Prefeitura de Maringá publicou uma nova licitação para contratar uma empresa para gerenciar o vale-alimentação dos servidores. Foi nesta segunda-feira (18). O valor do certame é de até R$ 51 milhões, na modalidade pregão. E a disputa dos concorrentes ocorre em primeiro de março.

Segundo o edital, a Prefeitura estima 13 mil e 600 funcionários para receber o vale. 13 mil 544 devem receber R$ 312 reais mensais, sendo 20% descontados do salário do servidor como contrapartida. E 120 servidores do Samu devem receber R$ 400 reais devem receber mensalmente de vale. Na licitação passada essa categoria não entrou no vale-alimentação. É que eles têm o chamado vale-refeição.

De acordo município, a Verochque, empresa que administra os cartões dos vales em Maringá, decidiu não renovar o serviço. É que atualmente a empresa oferta 5,9% de desconto da quantia que ela recebe da Prefeitura para gerenciar os trabalhos. E, segundo o secretário de Recursos Humanos de Maringá, César França, a Verocheque pediu para diminuir esse índice para 3,5%.

O contrato entre a Prefeitura e a Verocheque termina no dia 29 de março. Até lá, o vale de abril terá sido depositado. Se tudo correr bem, não haverá problemas para o servidor, diz França. E em último caso, um contrato de emergência será feito.

Em dois anos de prestação de serviço em Maringá, a Verocheque movimentou cerca de R$ 50 milhões.
Em campanha salarial, o Sindicato dos Servidores Municipais quer vale-alimentação de R$ 500.

Notícias da mesma editoria