Ser humano ameaçado ou ameaça?
Imagem ilustrativa/Pixabay/domínio público

Opinião

Ser humano ameaçado ou ameaça?

O comentário de Gilson Aguiar por Gilson Aguiar em 21/05/2020 - 09:29

Ultimamente olhar as informações dos meios de comunicação nos dá depressão. São números que nos assustam, nos deixam deprimidos. Quantos problemas. E um traz outro. Será que isso não terá fim? Terá. Não se preocupe. Mas podemos fazer um final com uma resposta melhor dependendo do nosso olhar atento ao que estamos passando agora.

Já que é para falar de problemas, lá vão alguns. Estamos diante de uma pandemia que gera números assustadores. O país já passou dos 18 mil mortos. O Paraná tem 2.616 casos e 137 óbitos. No caso da dengue, o Estado já tem mais de 180 mil casos, 12.633 somente em dez dias. São 139 mortos pela doença. A estiagem promove uma seca e baixa nos níveis de rios e reservatórios nunca visto em mais de 50 anos. O que está acontecendo?

Não se preocupe, não é o apocalipse, o fim do mundo, final dos tempos. Somente a colheita do que plantamos e consequência da condição em que vivemos. Neste mundo há uma relação direta de causa e efeito entre todos nós. Somos mais próximos do que imaginamos e promovemos a propagação de problemas em escala. Usamos e abusamos da natureza e ela nos responde de alguma forma. 

Da mesma maneira que agredida a natureza nos tira a condição de vida e nos causa um ambiente perigoso, ela também se regenera sem a nossa presença. O céu da China, cinzento, ficou limpo quando tiveram que pratica o isolamento social. O golfinhos, milhares, passaram a navegar em bando na costa norte-americana. Em muitas cidades, os animais invadiram as ruas. Até mesmo no Paraná, animais silvestres passaram a circular onde antes não eram vistos. 

Estamos apavorados com a ameaça de nossas vidas. Mas nós como espécie somos uma ameaça ao Planeta. Estamos agora na busca de combater um vírus. Porém, cálculo, que na mesma lógica nós somos uma doença, uma praga para o meio ambiente. Esta é uma lição que deveríamos aprender. Respeitar mais o que nos sustenta, a natureza. Isto nos traria menos problemas, com menos causas, menos efeito.