Segurança e tecnologia combinam e não podem ser virtuais
Imagem ilustrativa/Pixabay/domínio público

Opinião

Segurança e tecnologia combinam e não podem ser virtuais

O comentário de Gilson Aguiar por Gilson Aguiar em 03/12/2019 - 08:41

Polícia militar do Paraná tem agora um aplicativo de segurança, o 190. O número para ser discado já é tradicional e agora dá nome ao dispositivo que facilita o acesso ao aparato de segurança. Lançado em Curitiba e em algumas cidades do Paraná como forma testar sua eficiência, chegou a Maringá ontem. 

As pessoas poderão fazer denúncias, chamar o atendimento do aparato de segurança. Também se poderá tirar fotos e detalhar crimes. O que é destacado neste aplicativo é a possibilidade de pessoas portadoras de deficiência poderem ser atendidas. Antes isto era praticamente impossível. 

Tecnologia e segurança combinam. Até mesmo os trotes que eram comum reduziram. As pessoas para baixarem o aplicativo precisam se cadastrar. O que facilita a identificação de quem está solicitando o serviço da PM. Quatro tentaram pelo aplicativo e foram detidos. 

A agilidade no serviço público é fundamental para garantir a população o seu direito. Mas é importante ter condições de atendimento a demanda que o serviço exige. Se isso não ocorre, o aplicativo é inócuo. Podemos ter a sensação de ser ouvido, mas teremos que enfrentar a realidade de não ser atendido. 

Tecnologia pode aproximar, em alguns casos até permitir o atendimento, mas pode frustrar com o aumento da demanda e a pouco capacidade de oferta por parte do Estado. Temos deficiência crônica no atendimento a população quando se fala em segurança pública. Por isso, é bem vinda a tecnologia, contudo deve ser na mesma proporção a eficiência do serviço.