Responsabilidade é a principal resposta para reabertura
Imagem ilustrativa/Pixabay/domínio público

Opinião

Responsabilidade é a principal resposta para reabertura

O comentário de Gilson Aguiar por Gilson Aguiar em 06/08/2020 - 08:50

Todos querem voltar ao normal. Por mais que se fale que não haverá normal da maneira que conhecíamos antes, há resistências. Na hora de lutar pela reabertura de atividades comerciais, de se buscar o ambiente que tínhamos antes da pandemia, o comportamento de cada um conta. A dificuldade que a grande maioria das pessoas tem de se adaptar a realidade que estamos vivendo.

Hoje, inúmeros setores da economia e da sociedade civil pede o retorno de suas atividades. Afirmam que terão protocolos para garantirem a segurança das pessoas envolvidas. E não podemos esquecer que eles são necessários. Tem que existir protocolos de segurança. Um ambiente que forme e organize para o que deve ser feito. 

A questão é as pessoas, cada um. O que o comportamento dos seres humanos envolvidos pretende diante de uma situação que envolve todos. Não é só os nossos interesses que importam. E se for só eles, há uma dependência direta para sua realização dos demais envolvidos. Não há empresa que sobreviva sem clientes e funcionários. 

Faça sua parte, se quer uma segurança, dê segurança. Se deseja não correr riscos e ter a liberdade mínima para fazer o que deseja, faça o que deve ser feito. Caso contrário, sua liberdade se transforma em ameaça coletiva e deve ser combatida. 

Logo, a grande questão é a responsabilidade particular diante de um problema coletivo. Isto é que conta. O excesso de medidas só demonstra a infantilidade de nossos atos e a carência de qualidade social no comportamento individual. Quem precisa se pego na mão para fazer a coisa certa constantemente é uma eterna criança, mimada e que merece ser tratada na proporção de sua infantilidade. 

Muitos municípios tomam medidas punitivas, acabam retrocedendo na flexibilização, porque tem diante de si um comportamento desordenado da população. A busca desenfreada por fazer o que se deseja sem a responsabilidade necessária. Lembrando o gasto que o poder tem com a instrução do cidadão. A gestão pública é complexa quando o problema a ser enfrentado não conta com o apoio do maior prejudicado, o cidadão.