Quase 60 empresas do estado pediram recuperação judicial este ano
Imagem Ilustrativa/Foto: urist-home.do.am

Inadimplência

Quase 60 empresas do estado pediram recuperação judicial este ano

Por Carina Bernardino em 02/08/2019 - 07:16

Três pedidos, para tentar evitar falência, foram de estabelecimentos da região Noroeste.

Player Ouça a reportagem

De acordo com a Jucepar (Junta Comercial do Paraná), 57 empresas pediram recuperação judicial no primeiro semestre do ano no estado. Os registros são de estabelecimentos localizados em 16 cidades, como em Maringá, Campo Mourão, Londrina, Apucarana, Foz do Iguaçu e Curitiba. Da região Noroeste, foram 27 medidas jurídicas solicitadas com o objetivo de evitar falência. Porém, uma única companhia sucroalcooleira respondeu por 25 planos de reestruturação do negócio solicitados na Justiça. A Usina Santa Terezinha (Usaçucar) fez o registro em março e o número de solicitações corresponde a quantidade de sócios. A alegação foi de problemas nas negociações com bancos credores. Na época, a dívida somava R$ 4 bi.

Também na Comarca, houve o pedido de recuperação judicial pela C.L.O Construções, Locações de Equipamentos e Obras. A empresa informou à CBN que entrou na Justiça em dezembro de 2018, mas que a autorização só ocorreu no fim de janeiro. De Campo Mourão, o pedido de recuperação judicial foi feito pela I D Bernardi Cereais, comércio atacadista de cereais e leguminosas beneficiados, mas a reportagem não conseguiu falar com os responsáveis. Para entender o que significa o pedido de recuperação judicial, entrevistamos a advogada Mara Denise Polfo Wilhelm, especialista no assunto.

Após análise do relatório da Jucepar, foi possível verificar que a maioria das empresas com dificuldades financeiras tem o agronegócio como atividade principal. Dados do Banco Central mostram que a inadimplência dos produtores rurais com financiamentos não pagos há mais de 90 dias para nove atividades do mercado somou R$ 3,4 bilhões. Ou seja, 1,34% dos R$ 254 bilhões concedidos pelo sistema financeiro em 2018. Os produtores de leite responderam pela maior fatia, de 15% da dívida. Em recente decisão do STJ (Supremo Tribunal de Justiça) um produtor rural conseguiu pedir recuperação judicial mesmo não sendo pessoa jurídica.

A lista das empresas que pediram recuperação judicial está disponível no site: www.juntacomercial.pr.gov.br.

Notícias da mesma editoria