Prefeitura retira do orçamento dinheiro para o Hospital da Criança
Foto: odianacidade.com.br

Saúde em Maringá

Prefeitura retira do orçamento dinheiro para o Hospital da Criança

Por Victor Simião em 26/09/2019 - 17:49

Verba de R$ 50 milhões, que viria do Governo do Estado, ainda é dúvida. Executivo Estadual diz que não havia previsão no orçamento deixado pela gestão anterior, mas que busca recurso para obra não parar. Município também retirou do orçamento o empenho de R$ 10 milhões para o Hospital Municipal

Player Ouça a reportagem

A Prefeitura de Maringá retirou do orçamento o empenho de R$ 50 milhões para o Hospital da Criança. A quantia viria do Governo Estadual. A construção é responsabilidade do Estado, União e da Organização Mundial da Família. O município cedeu o terreno. O custo total é de R$ 150 milhões. O Governo Federal liberou R$ 100 milhões. O Estado, por outro lado, informou que não havia verba separada para o trabalho. Atualmente, a gestão Carlos Massa Ratinho Junior realiza ações para obter o dinheiro, segundo a assessoria de imprensa do Governo.

A construção já deu o que falar em Maringá. Houve até um anúncio de que as obras poderiam parar. Os trabalhos começaram de fato somente no começo deste ano, apesar de ter sido anunciado no final de 2017. E ainda não se sabe quem irá gerir o hospital. O município informou não ter capacidade; o Estado começou a avaliar a possibilidade.

A expectativa é que após ficar pronto o Hospital da Criança oferte 160 leitos, em 23 mil metros quadrados, para atender 21 especialidades como oncologia, ortopedia e cardiologia.

Apesar de ter havido um anúncio do Governo do Paraná de que não havia dinheiro previsto para o orçamento deste ano, a Secretaria Estadual de Saúde garantiu que a obra seria concluída. Por outro lado, a gestão passada do Governo informou que deixou dinheiro em caixa para a construção.

Por conta dessa incerteza, a secretaria de Saúde de Maringá cancelou o empenho dos R$ 50 milhões. Isso significa que não há expectativa de receber este valor ainda neste ano, explicou o secretário municipal da pasta, Jair Biatto.

Outro empenho cancelado é o de R$ 10 milhões para o Hospital Municipal, para a ala das mulheres. Anunciado no final de 2017, o dinheiro está na Caixa Econômica Federal. Segundo Biatto, o banco recebeu os projetos para as obras mas ainda não autorizou a liberação do dinheiro.

Um terceiro empenho cancelado foi no valor de R$ 256 mi. A quantia seria para a reforma da Unidade de Pronto Atendimento Zona Norte. O motivo é que os projetos não estão prontos e vão ficar para o ano que vem.
Empenho não significa necessariamente dinheiro em caixa e sim uma expectativa de gasto. Em outras palavras, é como se o município separasse uma quantia X para um fim específico. O cancelamento de empenho
significa que não há mais essa meta.

A CBN entrou em contato com assessoria de imprensa da Caixa Econômica e aguarda uma resposta quanto à liberação dos recursos para o Hospital Municipal.

Notícias Relacionadas

Notícias da mesma editoria