Maringá tem 3 mil árvores aguardando corte
Imagem Ilustrativa/Foto: Arquivo/PMM

Lista

Maringá tem 3 mil árvores aguardando corte

Meio Ambiente por Victor Simião em 08/10/2020 - 17:27

Cem delas estão em situação de emergência. 736, em urgência. O registro que está em primeiro lugar na fila foi feito em 2015.

De acordo com lista disponível no portal da transparência da Prefeitura, Maringá tem uma fila de espera com 3060 árvores aguardado cortes. Segundo o município, elas já foram avaliadas por um engenheiro e têm laudo para remoção. A lista foi acessada pela CBN nesta quinta-feira (08).

Com 142 mil árvores na cidade, conforme dados da Secretaria de Meio Ambiente, o número que está pronto para ser cortado equivale a 2% do total. Embora seja proporcionalmente baixo, é comum haver quedas durante as chuvas no município.

Claro, depende da intensidade da precipitação. Nessa quarta (07), por exemplo, o temporal durante a noite derrubou ao menos 23 árvores em Maringá. Algumas regiões ficaram sem energia, já que troncos atingiram a rede elétrica.

A lista para remoção de árvores em Maringá tem sinalização de prioridades: emergência, urgência, prioridade 1 e prioridade 2.

Conforme o município, emergência significa “risco de queda iminente/risco de vida”; urgência, “condição que tende a emergência sem atendimento rápido/risco de danos materiais graves”. No caso de prioridade 1, o protocolo é entendido como “obras paradas devido à arborização/indenizações/incompatibilidade entre o porte atual da árvore e o espaço disponível”; no caso de prioridade 2, “conforme programação do setor”.

No momento, cem árvores estão em situação de emergência, 736 em urgência, 595 em prioridade 1, e 1629 em prioridade 2 - totalizando 3.060.

O pedido que hoje está como o primeiro para o corte foi feito em setembro de 2015.

Embora haja a autorização para o corte de 3 mil, pode haver mais pedidos de retiradas de árvores que ainda não receberam autorização por parte da Prefeitura de Maringá.

A CBN procurou a assessoria de imprensa do Executivo. A informação é que a Secretaria de Serviços Públicos irá comentar o assunto nesta sexta-feira (09).