Maringá detém 60% das startups da região Noroeste
Imagem Ilustrativa/Foto: blog.zampieriadvocacia.com.br

Aplicativos

Maringá detém 60% das startups da região Noroeste

Por Carina Bernardino em 03/08/2019 - 09:23

Muitos empreendimentos são aplicativos que facilitam a vida de internautas, outros até geram renda extra no conceito de economia colaborativa. Mas também tem soluções ousadas, que querem acabar com a fome no mundo combatendo o desperdício de alimentos.

Player Ouça o boletim

Das mais de mil startups em funcionamento no Paraná, 119 estão localizadas no Noroeste, nas microrregiões de Maringá, Paranavaí, Cianorte, Campo Mourão e Umuarama. Todos os empreendedores se concentraram em encontrar soluções para problemas, seja no setor de saúde, mobilidade urbana, educação ou segurança. Mas alguns foram além, acreditando, por exemplo, que é possível acabar com a fome no planeta combatendo o desperdício de alimentos. Estamos falando da app Ecofood, criada pelo londrinense 
Raphael Koyama. A plataforma surgiu a partir de estudos que apontaram que 1/3 de todo o alimento do mundo é desperdiçado e que 800 milhões de pessoas passam fome. A plataforma está no ar há cinco meses em Londrina e a 20 dias em Maringá. No período, 16.500 refeições foram salvas e mais de 2 mil quilos de alimentos foram doados para uma ONG parceira, como explica o idealizador da iniciativa. 
 
A Iapim (Inteligência Artificial in Publicidade Mobile) é outra startup em funcionamento em Maringá, mas no conceito de economia colaborativa, com cashback. A proposta retorna em dinheiro as interações que acontecem no aplicativo de anúncios pagos, mercado que movimenta mais de US$ 3 bilhões anualmente no Brasil (segundo plataforma de mensuração de aplicativos). Recém-lançado na cidade, o presidente do aplicativo Tiago Amorim diz que a aposta foi em um novo jeito de fazer publicidade on-line regional.

Notícias da mesma editoria