Indústrias estão inovando, mas ainda ‘pecam’ ao captar recursos
Edson Campagnolo e Marilia de Souza lançam hoje, em Curitiba, a Bússola da Inovação: estudo que revela o perfil de inovação nas indústrias paranaenses. Foto: Gelson Bampi

Microrregião de Maringá

Indústrias estão inovando, mas ainda ‘pecam’ ao captar recursos

Por Carina Bernardino em 01/08/2019 - 07:43

Além do perfil das empresas, a Bússola de Inovação revela evolução do setor industrial paranaense, fator positivo em relação a crise dos últimos anos. Mas, ainda há espaço para melhorias.

Player Ouça a reportagem

A quarta edição da Bússola de Inovação do Observatório do Sistema Fiep revela o perfil inovador das indústrias paranaenses. O estudo realizado em 2018 mostra uma sensível evolução do setor nos últimos anos conquistada a partir da implantação de projetos inovadores. É que muitas empresas apostaram em melhorias de produtos, processos e práticas de gestão no período. A divulgação da pesquisa ocorreu nessa quarta-feira (31). O levantamento online foi feito com 906 empresas de 21 segmentos industriais de 113 municípios. A microrregião de Maringá foi a segunda maior em participação. De acordo com o pesquisador do Observatório do Sistema Fiep, Augusto Machado, as indústrias mostraram conhecimento da necessidade de inovar para continuar crescendo.

 

Os pontos negativos das indústrias da região Noroeste são em relação a interação externa e captação de recursos, apesar de Maringá ter importantes incubadoras tecnológicas e aceleradoras de crescimento.

 

Os indicadores do estudo da Bússola de Inovação ajudam os gestores na reavaliação do planejamento das empresas, assim como fortalecem a segurança deles nas tomadas de decisões. Um case de sucesso estadual está localizado em Maringá. A Elotech, indústria de software para gestão pública, iniciou o fomento a inovação há sete anos. O líder da equipe de desenvolvimento e evolução de produtos, Marco Aurélio Costaldo, diz que tudo começou com mudanças internas, que agilizaram a entrega de produtos. Hoje, metade dos 140 colaboradores da empresa estão envolvidos com os processos produtivos de inovação.

 

As indústrias que participam do estudo recebem diagnóstico completo da situação da empresa. Com o resultado, nas próximas edições é possível comparar o grau de evolução. De forma geral, os resultados do Bússola da Inovação apontaram que 52% das empresas executam atividades de pesquisa e desenvolvimento, mas apenas 5% têm procedimentos bem definidos e só 9% consideram isso como alta prioridade. Outro ponto que chama a atenção é em relação aos métodos de proteção, que são procedimentos que garantem segurança às inovações, dificultando cópias e imitações. Um ponto que regrediu em relação à pesquisa anterior foi a captação de recursos externos. Só 33% das empresas buscaram recursos de fora para seus projetos, enquanto o número anterior foi de 41%. Outras informações no site: www.bussoladainovacao.org.br.

Fotos: Gelson Bampi

Notícias da mesma editoria