Gilson Aguiar comenta a queda na geração de empregos em Maringá

Comentário

Gilson Aguiar comenta a queda na geração de empregos em Maringá

Em 28/12/2017 - 08:37

Apesar de mês negativo o ano é positivo

Maringá teve saldo negativo na geração de emprego. Foram perdidas 256 vagas de trabalho. O número é resultado de 5.018 admissões e 5.274 demissões. É o primeiro resultado negativo em quatro meses. Há com que se preocupar? Por enquanto não.

Em novembro do ano passado o saldo também foi negativo, contudo, com 419 demissões. Além disso, no total do ano, até agora, de janeiro a novembro, temos 2.237 empregos gerados. No ano passado, neste mesmo período, foram 1.336 demissões como saldo. Segundo os economistas, o resultado é sazonal. Pode ser uma acomodação do mercado. Levando em conta que a construção civil e a indústria lideraram as demissões.

O reflexo da reação econômica só será sentido de forma definitiva em 2018. Para isso, vai depender da reforma da previdência. Investidores querem esperar o ambiente das contas públicas e do mercado de trabalho para apostar em investir. O mercado de trabalho pode gerar uma flexibilidade necessária para promover o crescimento.

O mercado de trabalho exige cada vez mais eficiência e resultados imediatos. Os riscos de contratações querem ser reduzidos pelas empresas. Os trabalhadores desqualificados são os que mais sofrem com a instabilidade do mercado. Não se pode esquecer que são os ganhos dos trabalhadores que movem o mercado para parte considerável das microempresas que vende produtos e serviços no varejo.

Logo, a dúvida continua sobre como a economia vai reagir no começo de 2018. Os números são bons, mas ainda não dão a confiança de o crescimento virá de forma saudável e permanente. 

Player Ouça o comentário