Gilson Aguiar: 'ciência faz cidades inteligentes'
Imagem ilustrativa/Pixabay/domínio público

Opinião

Gilson Aguiar: 'ciência faz cidades inteligentes'

Por Gilson Aguiar em 11/10/2018 - 08:18
Player Ouça o comentário

Maringá terá um hackathon de mobilidade urbana. A ideia do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Maringá (Ipplam). A “maratona” será no próximo dia 20 de outubro. Os temas serão variados, abordando diversos “gargalos” da malha urbana. Os participantes serão alunos dos cursos de arquitetura e urbanismo das cinco instituições de ensino superior de Maringá. São 100 vagas para o projeto.

Durante o evento serão montadas equipes para a integração dos profissionais e para a troca de experiências na busca de soluções para os problemas de infraestrutura e ambiente da cidade. O nosso crescimento tem faltas e excessos que precisam ser pensados e equilibrados. A cidade que tem que funcionar como uma experiência comum. A particularidade do habitante está ambientada em uma rede complexa de ações interdependentes. Cabe ao poder público a eficiência das relações e instituições que envolvem o espaço urbano.

Neste hackathon, os estudantes de arquitetura terão a experiência de trabalhar com um elemento concreto para aprenderem a importância da arquitetura na construção de soluções. Maringá tem uma história de planejamento preservada de forma eficiente com esta iniciativa do Ipplam. Mais que isso, envolver as instituições de ensino superior promover o conhecimento e lhe assegura eficiência. A academia deve retornar à cidade onde ela está o potencial científico e técnico que tem.

O conhecimento tem como objetivo promover a qualidade de vida do ser humano. Buscar um caminho racional, lógico, para nossos dilemas. Este é o papel da educação em nossas vidas. Quando podemos viver as soluções que o conhecimento científico oferece, entendemos de forma definitiva a importância do “saber” e do “saber fazer”. Quando acadêmicos são formados olhando para fenômenos concretos como seus objetos de estudo e conseguem apontar soluções, a formação é sólida e gera eficiência. Parabéns a Celso Saito e a iniciativa do Ipplam.