Em velório simbólico, setor de eventos pede mais flexibilização

Protesto

Em velório simbólico, setor de eventos pede mais flexibilização

Economia por Luciana Peña em 22/09/2020 - 11:32

Último decreto publicado pela Prefeitura de Maringá libera eventos para até 100 pessoas a partir do próximo dia 28. Empresários querem que a liberação seja com base na capacidade do local, no modelo adotado para igrejas.

Ouça a reportagem completa:

190 dias parados. Os empresários do setor de eventos contam as horas de dificuldades desde o início da pandemia.

No dia 17 de agosto foram liberados eventos com até 30 pessoas. Mas as empresas alegam que não compensa financeiramente fazer um evento tão pequeno assim.

Na semana passada foi publicado um novo decreto, liberando eventos com até 100 pessoas a partir do dia 28 deste mês.

Também é pouco dizem os empresários. Rony Guimarães diz que as empresas e os profissionais autônomos que atuam na cadeia dos eventos querem a mesma regra aplicada a outros setores como restaurantes e igrejas: um percentual sobre a capacidade do local. [ouça no áudio acima]

O setor de eventos movimenta uma cadeia muito extensa de empresas e profissionais. Do buffet, ao aluguel de carro, tendas e roupa, fotos, assessoria e por aí afora.
Fábio Terra é funcionário registrado num buffet, que não demitiu ninguém porque mudou o contrato social e virou restaurante também. [ouça no áudio acima]

Mas a Michele Nava é profissional autônoma. Faz pizzas para festas familiares, principalmente em condomínios e está praticamente sem renda. [ouça no áudio acima]

Nesta terça-feira os empresários protestaram em frente à prefeitura. Uma noiva de luto puxou um cortejo fúnebre e um caixão simbolizou a morte do setor. Ao som de palavras como “abandonados” e “descaso” os manifestantes contornaram o Paço Municipal e fizeram muito barulho numa das entradas, bem abaixo dos gabinetes dos gestores.

 

Em nota a assessoria de imprensa  informou que: “O  decreto 1360/2020 liberou eventos para até 100 pessoas, a partir do dia 28 de setembro, seguindo os protocolos sanitários de prevenção ao coronavírus. A Prefeitura de Maringá continua monitorando a situação da pandemia no município, realizando estudos para garantir tanto a segurança do cidadão, quanto para atender os interesses do setor”.

Os manifestantes também foram para a frente da Câmara Municipal.