Decisões em Maringá aumentam expectativa para reabertura do comércio
Em reunião na Acim, Ulisses Maia falou sobre medidas de reabertura gradual da indústria e do comércio (Foto: Victor Simião/CBN Maringá)

Esperança

Decisões em Maringá aumentam expectativa para reabertura do comércio

Economia por Victor Simião em 08/04/2020 - 20:45

Depois de anúncio da volta da indústria e da construção civil a partir da semana que vem, empresários querem seguir diálogo para em breve retornar o setor do comércio. Prefeito diz que propostas estão sendo construídas, mas é necessário garantir segurança para evitar o coronavírus.

A decisão da Prefeitura de permitir a volta da construção civil e da indústria a partir de segunda-feira que vem (13) animou empresários que participaram de uma reunião na Acim. Na sede da Associação Comercial e Empresarial de Maringá, uma das entidades que têm pedido a retomada gradual dos trabalhos, esse foi o assunto após o encontro realizado na tarde e começo da noite dessa quarta-feira (08). 

Dados apresentados pelo município indicaram que as medidas de isolamento tomadas no dia 20 de março em diante surtiram efeito, e o empresariado aprovou. Pressionando nos últimos dias o prefeito Ulisses Maia, os empresários ficaram satisfeitos com a reunião, e agora esperam a reabertura do comércio de forma gradual. Foi o que disse o presidente da Acim, Michel Felippe Soares.

A CBN Maringá vem mostrando queixas de empresários em relação ao município. Uma das principais é a falta de diálogo sentida pelo comércio.  

O prefeito Ulisses Maia afirmou ter conversado com todos que procuraram o poder público. E quanto à abertura do comércio, disse que discussões devem ser feitas para a construção de propostas nos próximos dias, garantindo a segurança para evitar o coronavírus. 

Ao longo das últimas semanas, empresários têm entrado na Justiça para abrir o próprio negócio. Isso tem feito a prefeitura alterar decretos e recuar em alguns pontos. 

Na Acim, o fato de o prefeito ter ido até lá em um momento crítico foi bem visto porque, segundo pessoas ouvidas pela reportagem, demonstrou respeito ao setor produtivo.