Acusado de espancar e deixar a namorada em estado vegetativo irá a júri popular
Foto: Reprodução

Decisão

Acusado de espancar e deixar a namorada em estado vegetativo irá a júri popular

Segurança por Victor Ramalho em 23/06/2022 - 15:26

Wheber de Oliveira Simão, de 32 anos, é acusado de espancar Michelle de Brito, à época com 32 anos, com vários socos e chutes na região da cabeça. O crime ocorreu em 2019. A decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) foi publicada nessa quarta-feira (22).

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) determinou na noite dessa quarta-feira (22) que Whebher de Oliveira Simão, de 32 anos, acusado de ter espancado e deixado a namorada em estado vegetativo, seja julgado em júri popular. A decisão é da juíza substituta Sâmia Zaperlon, da 1ª Vara Criminal de Maringá.

O crime ocorreu em Paiçandu, em setembro de 2019. Michelle de Brito, à época com 32 anos, foi agredida com vários socos e chutes na região da cabeça pelo então namorado. Na época do crime, Michelle ficou internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Metropolitano de Sarandi e precisou passar por várias cirurgias. Atualmente, ela se alimenta através de sondas.

Whebher fugiu após o crime, mas foi preso no dia 18 de dezembro de 2020, no município de Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul (MS), em uma operação conjunta da Polícia Civil do Paraná com a polícia sul-matogrossensse. Ele segue preso desde então. Após 1 ano e meio no presídio de Dourados (MS), o acusado foi transferido na última semana para a Casa de Custódia de Maringá.

Na ação, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) pede que Whebher seja julgado por tentativa de feminicídio. O julgamento, que será realizado no Fórum de Maringá, ainda não tem data para ocorrer.

Segundo o advogado de defesa de Whebher, Luiz Carlos Ragiotto, a decisão pela acusação por tentativa de feminicídio é considerada equivocada. A defesa trabalhava por uma acusação por lesão corporal grave. [ouça no áudio acima]

(Texto atualizado às 15h43 para acréscimo da entevista com o advogado de defesa, cedida pelo GMC Online)