A volta de JP - História das Eleições

Podcast

A volta de JP - História das Eleições

Podcast por Reginaldo Dias em 14/10/2020 - 12:16

O História das Eleições é apresentado pelo professor e historiador Reginaldo Dias.

Ouça o 18º episódio:

Olá, pessoal, hoje vamos analisar a eleição para a prefeitura de Maringá ocorrida em 1976, a única em que a legenda da Arena foi vitoriosa e que garantiu o segundo mandato ao lendário prefeito João Paulino.


Em 1976, a Arena e o MDB usaram todas as sublegendas franqueadas pela lei para formar chapas de candidatos à prefeitura. Desta maneira, cada legenda lançou três chapas.


No MDB, as candidaturas foram as seguintes: chapa 1 Horácio Raccanello –prefeito/João Batista Sanches/vice; chapa 2 (secretário municipal) Antônio Assunção/José Rodrigues do Nascimento (vereador); chapa 3 (deputado federal) Walber Guimarães/ Edi Eri Froeming (vereador).


Na Arena, as candidaturas foram as seguintes: (chapa 1) João Paulino Vieira Filho/(engenheiro) Sincler Sambatti; chapa 2 (médico) Said Ferreira/Antônio Mário Manicardi (vereador e presidente Câmara), chapa 3 (deputado estadual) Gabriel Sampaio/Egídio Assmann (empresário e ex-vereador).


Diferentemente do que ocorreu nas duas eleições anteriores, a Arena atuou como um time. Sobreviviam diferenças internas, mas havia uma ação partidária unificadora e um candidato que exercia liderança incontestável, o ex-prefeito João Paulino. Gabriel Sampaio estava em ascensão política e Said Ferreira queria se cacifar para novos voos.


Já o MDB atuou de forma fragmentada e desunida, dividido em duas grandes alas, uma liderada pelo prefeito Silvio Barros e outra por Horácio Raccanello. O prefeito Silvio Barros apoiou o secretário municipal Antônio Assunção, um homem competente e testado na máquina pública, mas ainda sem lastro eleitoral, apesar de ter sido vereador. Sem o apoio do prefeito, Walber Guimarães se lançou para tentar ampliar os votos para a legenda. Nas fileiras do MDB, a campanha que mais empolgou foi a de Horácio Raccanello, mas não a ponto de ameaçar a vitória da Arena.


Em uma disputa sem fatos dramáticos nem reviravoltas surpreendentes, prevaleceu a estratégia mais bem elaborada e bem executada. A Arena ganhou as eleições com 60% dos votos. A soma do MDB totalizou 34% dos votos. Said Ferreira plantou para fazer a colheita plena na eleição seguinte, quando seria eleito prefeito. Gabriel Sampaio ampliou seu prestígio eleitoral.


Said Ferreira e Gabriel Sampaio tiveram votação equivalente ao candidato mais bem votado do MDB, o professor e advogado Horácio Raccanello.
Por sua vez, o ex-prefeito João Paulino liderou a votação e conquistou o seu segundo mandato.


Em 1982, quando terminou o segundo mandato de João Paulino, o município completou 30 anos. Em um terço desses 30 anos, Maringá esteve sob o comando eficiente e positivo de João Paulino, o principal líder político das primeiras décadas do município.