A quarta legislatura - História das Eleições

Podcast

A quarta legislatura - História das Eleições

Podcast por Reginaldo Dias em 06/10/2020 - 12:25

O História das Eleições é apresentado pelo professor e historiador Reginaldo Dias.

Ouça o 12º episódio:

Olá, pessoal, hoje vamos analisar a quarta legislatura da Câmara Municipal, composta pelos vereadores eleitos em 1964.


O campeão de votos foi o professor e poeta Ary de Lima, o autor da letra do Hino à Maringá.


Tivemos apenas um reeleito da legislatura anterior. Tratava-se do vereador Kazumi Taguchi, que se credenciava, assim, para o segundo dos sete mandatos que veio a exercer.


Em todo o caso, é justo lembrar que alguns dos vereadores eleitos em 1964 contavam com a experiência de terem exercido temporariamente o cargo, pois foram suplentes em mandatos anteriores: Antenor Sanches, Primo Monteschio e Silvio Barros. Além deles, havia o caso de Arlindo Planas, que havia sido vereador na Câmara Municipal de Mandaguari, representando o distrito de Maringá.


Presidiram a Câmara Municipal na quarta legislatura: Paulo Vieira de Camargo, Kazumi Taguchi e Arlindo Planas.


Alguns dos vereadores eleitos em 1964 tiveram sucesso em outros voos políticos: Silvio Barros foi eleito deputado estadual em 1966. Depois ele seria eleito deputado federal e prefeito; Renato Bernardi seria eleito vice-prefeito no término do mandato de vereador, em 1968. Depois ele seria eleito deputado estadual e deputado federal. Ary Lima seria eleito deputado federal em 1970.


Outros vereadores tiveram atuação longeva na Câmara Municipal: Antenor Sanches foi titular de quatro mandatos e suplente em outros três, participando, portanto, de sete legislaturas; Midufo Vada foi reeleito três vezes, completando quatro mandatos, Paulo Vieira de Camargo destacou-se pela liderança, desempenhando o cargo de presidente na quarta e na quinta legislatura, para a qual foi reeleito.


A eleição de 1964 deu início à atuação parlamentar de Antônio Mário Manicardi. Respeitado como funcionário público do município, Manicardi também era um talentoso comunicador de rádio, conhecido como Nhô Juca.


Ary de Lima também tinha lastro como comunicador, com presença na imprensa escrita e na radiofonia. Embora a biografia deles fosse mais densa, os dois foram precursores de uma geração de comunicadores que disputariam cargos públicos em gerações futuras.