Veja os golpes mais comuns em Maringá e dicas para não cair neles
Foto: Ilustrativa / Pixabay

Segurança

Veja os golpes mais comuns em Maringá e dicas para não cair neles

Segurança por Fabio Guillen/GMC Online em 07/08/2021 - 13:50

Do perfil falso no WhatsApp a cupom falso de desconto em restaurantes. Cada vez mais moradores de Maringá e região são vítimas de golpes. E a especialidade dos criminosos agora é pensar no digital, já que todos estão sempre conectados no celular. O golpe do momento, inclusive, em Maringá é o do falso perfil no WhatsApp, segundo o delegado de estelionato, Fernando Garbelini.

Os criminosos vinculam uma imagem de perfil da vítima, geralmente retirada do seu próprio perfil de WhatsApp ou redes sociais e se passam pela pessoa pedindo dinheiro para amigos, familiares e conhecidos. “O golpe do perfil falso no WhatsApp está em primeiro lugar. Acredito que representa uns 70% de tudo que é registrado em nossa delegacia. Eles pegam uma foto de uma pessoa, criam um perfil e entram em contato com pessoas conhecidas da vítima falando que é um número novo e pedem dinheiro. Antes eles clonavam o número, mas agora está mais difícil clonar e, por isso, criam perfis falsos”, explicou o delegado Garbelini. 

Veja os golpes mais comuns em Maringá e dicas para não cair neles

Golpes do falso intermediador de vendas ou do primo

Segundo o delegado Garbelini, nesse golpe os criminosos descobrem o contato da vítima em sites de vendas online ou redes sociais. Os golpistas copiam o anúncio feito pela vítima e criam um novo anúncio falso, mas com valor mais baixo. Logo em seguida, o criminoso diz que vai comprar o objeto anunciado e que pagará uma dívida com algum cliente ou familiar, por isso, pede silêncio para apresentar o objeto para uma segunda vítima, prometendo muitos lucros. No caso de imóveis, já que o anunciante sabe que precisa ficar em silêncio, geralmente, mostra o imóvel achando que a segunda vítima é familiar ou amigo do golpista.

A vítima que se interessa pelo imóvel ou objeto também é recomendada a ficar em silêncio porque irá receber uma recompensa pela negociação. Depois de convencer as duas vítimas, os golpistas passam uma conta corrente em nome de laranja, recebe o dinheiro e desaparecem prometendo marcar o encontro no cartório. 

A recomendação para não cair nesse golpe é manter sempre um diálogo aberto com comprador e vendedor e, ao comprar, busque se informar se realmente aquela pessoa é a dona do imóvel ou se é um vendedor credenciado pelo dono do imóvel. 

Golpes do falso empréstimo 

Neste golpe que é muito praticado em Maringá e região, os criminosos fazem anúncios em redes sociais oferecendo linhas de crédito com facilidade e promoções tentadoras. Eles se passam por instituições financeiras. Durante a conversa com as vítimas que veem os anúncios e procuram os golpistas, eles convencem a pessoa a fazer transferências. 

“Normalmente as vítimas procuram na internet taxas de juros favoráveis e acabam fazendo contatos com golpistas e durante as conversas, normalmente por whatsapp, eles começam a pedir valores antecipados para a liberação do crédito. Após os depósitos eles bloqueiam as vítimas e se apropriam dos valores”, disse o delegado Fernando Garbelini. 

Segundo Garbelini, para evitar cair nesse tipo de golpe é preciso sempre desconfiar de ofertas tentadoras ou procurar os canais de comunicação oficiais da instituição. Além disso, outro alerta importante é que os bancos nunca solicitam pagamentos antecipados para liberar créditos. 

Golpes do falso site de leilão 

O golpe do falso site de leilão acontece quando os criminosos criam sites falsos de leilão de veículos e vinculam imagens oficiais do Detran e do Tribunal de Justiça. Desta forma, eles conseguem dar credibilidade para o golpe. Os sites, segundo o delegado, são geralmente com palavras como leilão oficial, leilão Detran, dentre outros. 

A recomendação é nunca depositar dinheiro de forma antecipada sem se informar se realmente o leilão é oficial. O alerta é sempre procurar o Detran da sua cidade ou procurar a delegacia mais próxima para verificar se realmente aquele leilão existe. A tentação de comprar o veículo por preço muito abaixo do mercado pode trazer grandes dores de cabeça e prejuízos financeiros. 

Golpes do falso bilhete premiado 

O golpe do falso bilhete premiado, segundo o delegado Garbelini, é centenário e já fez centenas de vítimas na cidade e região. Os criminosos, geralmente, se aproveitam de pessoas mais idosas, mas já houve casos de pessoas jovens e bem instruídas que caíram na lábia dos golpistas. 

O golpista geralmente é uma pessoa humilde que pede ajuda na rua para sacar o dinheiro de um bilhete premiado da loteria. O criminoso diz para a vítima que tem medo de sacar o prêmio e ser roubado ou que está com o nome sujo e precisa de alguém para sacar. Nesse golpe, geralmente aparece um segundo criminoso bem vestido que diz que ouviu a conversa. Depois de toda uma encenação para a vítima, inclusive com ligação falsa para a Caixa Econômica Federal eles confirmam que o prêmio seria verdadeiro. A lábia é tão forte que os golpistas convencem a vítima a ficar com o bilhete, desde que, ao sacar, uma parte do valor seja repassado para o suposto ganhador. 

Depois de toda a novela montada, a vítima aceita transferir um valor como garantia de que irá sacar o prêmio e devolver uma parte para o suposto ganhador que seria uma pessoa muito simples. Após receber o dinheiro da vítima, os golpistas desaparecem. 

“Sempre que falamos de fraude e estelionato vem à mente o golpe do bilhete premiado, que é algo folclórico até. É centenário até o golpe do bilhete premiado. Apesar de ser muito antigo, continua ocorrendo muito. Semanalmente a gente vê esse tipo de golpe aqui na delegacia e as vítimas sempre perdem muito dinheiro. É algo muito impactante para a vida financeira destes idosos”, disse o delegado Garbelini. 

A recomendação é nunca acreditar em pessoas na rua ou em outro lugar que estão oferecendo bilhete de loteria. Segundo o delegado, é preciso chamar a polícia.

 Acesse GMC Online

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550