Testemunhas serão ouvidas em Mandaguari e Maringá
Maria Glória Poltronieri Borges | Foto: Reprodução/Facebook

Caso Maria Glória

Testemunhas serão ouvidas em Mandaguari e Maringá

Segurança por Luciana Peña em 28/01/2020 - 10:31

Nesta terça-feira (28), a Polícia Civil agendou depoimentos na delegacia de Mandaguari e na delegacia de homicídios de Maringá de testemunhas que podem ajudar na apuração do assassinato de Maria Glória Poltronieri Borges. A jovem foi encontrada morta no último domingo(26) perto de uma cachoeira em Mandaguari. Entre os depoimentos prestados até o momento está o de um bombeiro que organizou um curso de socorrista no fim de semana na chácara onde aconteceu o crime.

O corpo de Maria Glória Poltronieri Borges foi cremado nessa segunda-feira em Maringá. A bailarina foi assassinada no fim de semana. O corpo foi encontrado perto de uma cachoeira em Mandaguari. De acordo com a Polícia Civil, a jovem foi morta por asfixia. Há suspeita de violência sexual, mas a confirmação depende de laudo da Polícia Científica. Nessa segunda-feira, o delegado responsável pelo caso, Zoroastro Nery do Prado, de Mandaguari, ouviu vários depoimentos. Uma das testemunhas ouvidas foi um bombeiro que organizou um curso de socorrista no fim de semana no mesmo local onde aconteceu o crime. Ele disse para a polícia que chegou a fazer buscas no sábado à procura de Maria Glória porque a dona da pousada, onde a jovem estava acampada, já tinha notado a ausência dela.

A delegacia especializada em homicídios de Maringá dá apoio à delegacia de Mandaguari. Alguns depoimentos serão prestados aqui na cidade.

O delegado disse que vai pedir prioridade nos laudos da Polícia Científica para saber o quanto antes se há informação genética no material colhido pelos peritos.