Saúde confirma dois casos suspeitos de coronavírus em Maringá
AEN

Doença

Saúde confirma dois casos suspeitos de coronavírus em Maringá

Saúde por Victor Simião em 02/03/2020 - 18:00

A informação consta em um boletim divulgado pela Secretaria Estadual nessa segunda-feira (02). Um homem e uma mulher estão com exame sob análise. Eles viajaram pela Itália no mês passado.

Dois casos de suspeita de coronavírus em Maringá foram confirmados pelo Governo do Paraná. Em boletim divulgado nesta segunda-feira (02), a Secretaria Estadual de Saúde informou que os casos estão em sob análise. Além desses, há três suspeitas em Curitiba, uma em Cascavel e outra em Londrina. 

Em relação a Maringá, o primeiro caso é de uma mulher de 39 anos. Ela esteve na Itália e voltou no dia 20 do mês passado. Os sintomas começaram no dia 26, e os exames foram feitos no dia 28.

A segunda situação apresenta um homem de 24 anos. Ele viajou pela Itália, França e Alemanha entre 17 e 25 de fevereiro, quando voltou a Maringá. A partir do dia 27 do mês passado, começou a ter sintomas. Um exame foi feito no dia 28 e está em análise.

Até o momento, dois casos da doença foram confirmados no Brasil. 

No Paraná, nove casos de suspeitas foram descartados. 

A CBN procurou o secretário municipal de Saúde, Jair Biatto, mas ele não atendeu às ligações para falar sobre o assunto.

Na sexta-feira(28), a Prefeitura de Maringá confirmou a suspeita de coronavírus no paciente de sexo masculino. Ele ficou em observação na UPA Zona Sul, em uma área isolada. Foram colhidas amostras de saliva e de secreções nasais para exame mais detalhado, necessário para confirmar ou descartar a presença do vírus, segundo o município. Ainda na sexta o paciente foi liberado e cumpre quarentena de 15 dias em casa sob acompanhamento. Os sintomas não evoluíram, conforme a Prefeitura. O resultado do exame, feito pelo Laboratório Central do Estado, ainda não foi divulgado.

Em relação ao caso da mulher, a assessoria de imprensa da Prefeitura disse ainda não haver informações. Ao que tudo indica, o caso não passou pela rede municipal.