Prefeito e nove vereadores mudam de partido em Maringá
Fotos: CMM/Arquivo

Filiação partidária

Prefeito e nove vereadores mudam de partido em Maringá

Política por Victor Simião em 06/04/2020 - 17:35

As mudanças foram oficializadas no sábado (04), último dia permitido pela lei para alteração. Ulisses Maia deixa o PDT e entra no PSD, sigla do governador Ratinho Junior. Mudanças visam eleição em outubro.


 

O prefeito Ulisses Maia e outros nove vereadores mudaram de partido em Maringá. Embora a conversa no bastidor viesse de tempos, a decisão foi oficializada no sábado (04), último dia permitido pela lei para alteração partidária sem a perda de mandato. A maior parte dos políticos que trocaram de sigla não fez alerta ou divulgação pública. A decisão, na maior parte dos casos, foi devido à pandemia de coronavírus. Um anúncio como esse poderia ‘pegar mal’.

O prefeito Ulisses Maia deixou o PDT, sigla pela qual foi eleito chefe do executivo municipal, e foi para o PSD. Maia disse à CBN que a mudança se deu porque ele foi convidado pelo governador Ratinho Junior, também filiado ao partido. 

A mudança dele e dos outros parlamentares visa a eleição deste ano, que estarão em disputa os cargos para o executivo e o legislativo municipal. Embora já tenha sido ventilada a possibilidade de atrasar a eleição ou até mesmo suspendê-la, por enquanto tudo segue como o previsto.

Na Câmara, dos 15 vereadores eleitos mudaram de partido recentemente. Outros dois já tinham mudado antes. Ou seja, 11 dos 15 não estão mais no mesmo partido pelo qual foram eleitos. 

As mudanças confirmadas serão listadas agora: 

Belino  Bravin deixou o PP e foi para o PSD; Sidnei Telles deixou o PSD e foi para o Avante; Altamir da Lotérica deixou o PSD e foi para Podemos; Jean Marques saiu do PV e ingressou no Podemos; Professor Niero deixou o PV para entrar no MDB; William Gentil mudou do PTB para o PSB; Dr Jamal saiu do PSL e foi para PSB; Onivaldo Barris saui do PHS e foi para o PSL. Em meados de março, Flávio Mantovani já tinha deixado o Cidadania e ido para a Rede. 

Odair Fogueteiro já tinha deixado anteriormente o PHS e se filiado ao PDT; e Alex Chaves também já tinha saído do PHS e ido para o MDB.

Diferentemente das eleições anteriores, a próxima não terá coligações proporcionais. Ou seja: partidos não vão poder se coligar com outros para a soma de votos resultar num vitorioso.  No jargão, as chapas serão puras. 

Vereadores e assessores consultados pela reportagem explicaram que essa foi a principal razão para mudança de partido. De modo geral, eles calculam que, na sigla escolhida, conseguirão votos necessários para serem eleitos.