Paralisação de ônibus em Maringá entra no quarto dia
Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Greve

Paralisação de ônibus em Maringá entra no quarto dia

Cidade por Luciana Peña em 11/02/2021 - 09:19

Uma liminar reforça que motoristas que querem trabalhar não podem ser impedidos. Mas poucos ônibus deixaram a garagem nesta manhã.

A greve dos motoristas do transporte urbano e metropolitano começou na segunda-feira, dia 8. No dia seguinte as empresas TCCC e Cidade Verde entraram com uma ação na Justiça pedindo que o sindicato trabalhista garantisse a circulação de 70% da frota e a atividade de 70% dos motoristas.

O pedido foi parcialmente deferido. A Justiça apenas determinou que não houvesse nenhum impedimento para a saída dos ônibus das garagens.
Nessa quarta-feira, dia 10, alguns motoristas tentaram sair da garagem central. Apenas um conseguiu.

As empresas ajuizaram novo pedido à Justiça, para que o interdito proibitório se estendesse também a oito funcionários identificados como líderes do movimento grevista.
A liminar foi concedida nesta madrugada e o efeito pôde ser percebido no terminal urbano com a volta de carros circulando.

O motorista Joel Ferreira voltou ao trabalho. [ouça no áudio acima]

Mas ainda são poucos carros rodando. Na garagem central é grande a concentração de motoristas em greve. Por volta das 8h, a reportagem constatou que não havia nenhum impedimento à saída dos ônibus.

Nenhum motorista quis gravar entrevista porque segundo eles não há lideranças.

O gerente de RH da TCCC e Cidade Verde, Valter Cirino, acredita que muitos motoristas que querem trabalhar estão em casa e ainda não sabem da nova decisão judicial.
A medida também impõe multa de 30 mil reais. [ouça no áudio acima]

Na decisão, o juiz Rafael Tanner Fabri, reitera que o “óbice é apenas de impedimento de acesso e circulação às pessoas e veículos, não estando impedida a utilização dos meios de coerção próprios e legítimos ao movimento grevista”.

O Sinttromar informou que a oficial de Justiça Milaine Novaes, designada  para fazer cumprir a ordem judicial constatou que não havia lideranças do sindicato na paralisação. O documento foi anexado ao processo nessa quarta-feira (10). Também nesse documento, a oficial de Justiça diz que às 7h37 (do dia 10) houve a tentativa de saída de um veículo, impedido pelos manifestantes.

Enquanto isso, a população sofre sem o serviço considerado essencial.

Quem mora em cidades vizinhas, como a Elisangela dos Santos, está tendo que madrugar para não falar ao trabalho. Elisângela vem de Sarandi a Maringá de carona com o marido. [ouça no áudio acima]

Quem mora em Maringá está gastando o que não tem para pagar carro de aplicativo. É o caso da Juliana Ferreira. [ouça no áudio acima]

A CBN também está tentando contato com a Prefeitura de Maringá e com o DER pra comentar o assunto.

(Atualizado às 09h52): E ainda segundo o gerente de operações informou que os ônibus saíram parcialmente das garagens da Monteiro Lobato e da Morangueira. O ônibus de Sarandi e Paiçandu ainda não estão rodando.