Casal monta barraca sem atendente na rodovia BR-317
Foto: Vera Fávero Margutti

Região

Casal monta barraca sem atendente na rodovia BR-317

Paraná por Portal GMC Online em 22/04/2020 - 17:09

Por: Lethícia Conegero/GMC Online


 

À beira da estrada, na rodovia Deputado Silvio Barros, a BR-317, na divisa entre Iguaraçu e Santa Fé, debaixo de uma sombra, uma prateleira de madeira chama atenção. Acima, uma faixa com os dizeres “Vendinha da Roça”. Dentro, diversos produtos naturais, garrafas de água e livros, e um cartaz que diz: “Barraca sem atendente. Confiamos em você! Você está sendo filmado por Deus”.

A vendinha oferece diversas opções de produtos orgânicos como frutas e legumes, além de salames, queijos, peixes, ovos caipiras, compotas de doces, sabão caseiro de abacate e limão, garrafas de água, milho e quirera para animais e esterco de gado.

Foto: Vera Fávero Margutti
Foto: Vera Fávero Margutti

Para adquirir os produtos é simples: basta escolher e deixar o dinheiro na caixinha. Todos têm preços e há moedas para troco no local. Em tempos de pandemia da Covid-19, o casal também instalou lavatório e um frasco de álcool em gel no local, e pede, nos cartazes, que os clientes higienizem bem as mãos antes de tocar nos produtos. 

A ideia nasceu há cerca de sete quilômetros dali, no sítio Nossa Senhora das Graças, em Santa Fé, do casal de aposentados Vera Fávero Margutti, 59 anos, e Elcio Margutti, 64 anos. Eles moram no local desde 2014 e se dedicam inteiramente à vida na roça, cultivando hortas e criando gado, porcos e galinhas.

“Nosso principal objetivo é resgatar valores de honestidade, de respeito às coisas alheias e amor ao próximo, estamos falando isso mais do que nunca. Temos uma imagem muito ruim fora do País, e precisamos rever nossos conceitos, mudar paradigmas. Além disso, buscamos conscientizar as pessoas sobre o uso de produtos orgânicos para que as pessoas se alimentem melhor”, explica Vera.

Elcio foi o artesão. Neste período de quarentena, ele montou a barraca de madeira e o projeto ganhou forma. A vendinha está no local há poucos dias e o casal ainda está fazendo alguns ajustes.

Todas as manhãs, eles repõem os produtos nas prateleiras, e o dinheiro é recolhido no final da tarde. As mercadorias passam a noite no local, salvo em período de chuva forte.

Formada em letras, Vera também é escritora e comercializa suas obras na “Vendinha da Roça”, com a proposta de incentivar a leitura. São livros infantis, de poesia, contos e crônicas, vendidos à preço de feira, a partir de R$ 5.

Os preços dos produtos naturais também são bastante acessíveis, como mamão por R$ 1 e abacate também por R$ 1. Mesmo assim, a barraca já foi furtada.

“Já teve dias que levaram produtos e o dinheiro que estava caixinha. Mas ainda assim, apostamos que a maioria das pessoas são honestas. Alguns nos deixam bilhetinhos carinhosos, o que nos faz perseverar neste momento”, destaca Vera.


Ao sair de casa, USE Máscara. Clique aqui e saiba por que ela é importante