Viadutos do Contorno Norte: 961 dias de dinheiro na conta, sem obras
Divulgação

O Assunto é Política

Viadutos do Contorno Norte: 961 dias de dinheiro na conta, sem obras

Por Diniz Neto em 08/11/2018 - 09:50

VIADUTOS DO CONTORNO NORTE

Os vereadores convidaram o secretário de Obras, Marcos Zucoloto, para dar explicações sobre a duplicação dos viadutos do contorno norte. Esta é uma das novelas recentes da cidade, daquelas longas, que já deveria ter sido concluída, mas que vem sendo prolongada, na minha opinião, pela incompetência.

O dinheiro foi conseguido junto ao governo federal, pelo deputado federal Ricardo Barros, em 2016. Chegou à conta da Prefeitura no dia 22 de março de 2016. O Ministério dos Transportes, através do Dnit, liberou R$ 12 milhões e 450 mil para a elaboração dos projetos e execução das obras complementares do Contorno Norte (BR-376). O valor total do convênio foi de R$ 24 milhões e 900 mil.

Este dinheiro está na conta da Prefeitura há 2 anos, 7 meses, e 13 dias.

A parcela seguinte, pelo cronograma do convênio deveria ser repassada em 13 de maio de 2017.

O convênio entre o Município e a União previa a construção da segunda pista dos viadutos das avenidas Mandacaru, São Judas Tadeu, Kakogawa, Tuiuti, Guaiapó e Franklin Delano Roosevelt.

Em 2016 os projetos foram feitos e a obra foi licitada. A vencedora foi a Itaúba Incorporações e Construções, de Curitiba.

A empresa deveria inicias as obras no começo de 2017. Porém, no dia 6 de fevereiro de 2017 foi publicado no Diário Oficial do Município o cancelamento da licitação. Segundo o secretário de Obras Públicas de Maringá, Marcos Zucoloto, o cancelamento foi motivado por uma “série de erros” identificados no processo licitatório pelo Regime Diferenciado de Contratação Integrada. Para ele, cancelar a licitação era a melhor forma de evitar futuros questionamentos sobre a legalidade da obra.

Em fevereiro de 2017, Zucoloto afirmou que “em um primeiro momento pode até parecer que a medida implicará em atrasos na obra, porém é melhor fazer tudo dentro da legalidade para evitar possíveis embates jurídicos no futuro”.

Ele também deu o novo cronograma: O novo edital deveria estar concluído em 60 a 90 dias. Ou seja, no máximo até o dia 7 de maio de 2017.

O que se sabe é que o novo edital não ficou pronto, foi necessário refazer o convênio e inclusive lutar para não perder os recursos. Houve promessas de que as obras começariam em até 120 dias, ou seja, em abril, no máximo maio.

Em maio o Dnit teria rejeitado os projetos dos viadutos. A partir daí não consigo entender mais nada sobre este caso.

Vamos acompanhar as explicações. Amanhã voltaremos a comentar sobre os viadutos.

Explicações à parte, o prejuízo para a população é real e irrecuperável.

 

FOGOS DE ARTIFÍCIO COM MENOS RUÍDO

Ontem, no começo da noite, na Câmara Municipal, aconteceu uma audiência pública para debater projeto de lei do vereador Flavio Mantovani, projeto 14463/2017, que proíbe a queima, soltura e manuseio de fogos de artifício e artefatos pirotécnicos que causem poluição sonora no município de Maringá.
A proposta é polêmica, mas tem muitos defensores. Pessoal da causa animal e pais de crianças autistas estão unidos na defesa do projeto.

O efeito dos fogos sobre crianças autistas é impressionante. O retorno à normalidade pode levar, às vezes, mais de uma hora.

 

NOVO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ

O governador eleito, Ratinho Junior, esteve reunido com o presidente da APP Sindicato e garantiu que sempre haverá um canal de diálogo entre os professores e os funcionários das escolas públicas do estado.

Ontem, o governador eleito anunciou o secretário de Educação do seu governo. Renato Feder é CEO e sócio da Multilaser, empresa com 3 mil funcionários, atuando no segmento de eletrônicos e informática. Ele é formado em Administração na FGV, com mestrado em economia na USP.

A empresa tem projetos na área da educação, dentre eles patrocínios a feiras de Ciências.

Feder foi assessor voluntário da Secretaria de Educação de São Paulo por oito meses. Durante oito anos foi professor de matemática e de economia no Mackenzie.

Renato Feder também faz parte do Movimento Brasil 200, que tem entre os seus idealizadores Flavio Rocha, que foi pré-candidato a presidente da República pelo PRB, partido que é presidido em Maringá por Rogério Calazans. 

UMA MULHER NA AGRICULTURA

Luiz Antonio Nabhan Garcia não será ministro da Agricultura, como muitos apostavam.

Foi indicada para o Ministério a deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS), presidente da Frente Parlamentar Agropecuária do Congresso Nacional, conhecida como a bancada ruralista.

Ela é engenheira agrônoma e empresária.

Na Expoingá deste ano, Tereza Cristina esteve em Maringá vários dias. Participou de eventos e de muitas atividades da Sociedade Rural de Maringá.

  CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA

O vereador Homero Marchese, deputado estadual eleito, deu entrevista a e veículo de Curitiba em que revela que pretende fazer parte da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa.

Marchese foi eleito vereador em Maringá. Foi o mais votada da eleição de 2016 e eleito, logo após a posse, presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal de Maringá.

 

E O SEU SALÁRIO?

O vereador Do Carmo, eleito deputado estadual, usou o WhatasApp e as redes sociais para chamar os senadores de “irresponsáveis”, por aprovarem o aumento de 16% para ministros do Supremo e Procuradoria Geral da República. O salário dos ministros passará a ser de R$ 39 mil.
Do Carmo lembra que esta aprovação, feita por 41 senadores, com 16 votos em contrário, aumenta os gastos públicos em R$ 6 bilhões, tendo reflexos nos salários do Poder Judiciário.

Do Carmo é presidente do PSL de Maringá, partido do presidente Jair Bolsonaro, que disse ontem, em Brasília, que este não é o momento certo para aumento de salários de servidores.

Mesmo com a posição contrária do presidente eleito e da sua equipe econômica, o aumento foi concedido por 41 senadores.

Do Carmo termina sua postagem perguntando: E o seu salário?

Player Ouça o boletim