Tragédia em Minas e as mudanças que o país precisa
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

Tragédia em Minas e as mudanças que o país precisa

Por Diniz Neto em 28/01/2019 - 10:06
Player Ouça o boletim

A tragédia com a barragem da Vale, gigantesca, cruel, implacável, mostra o tamanho da necessidade de mudanças urgentes, em todo o país.

Quem pode imaginar uma sede administrativa e um restaurante, com centenas de funcionários, logo abaixo de uma represa?

Que tipo de vistoria possuía essa barragem? No caso de risco, qual era o plano? Respostas inúteis diante de tanta devastação.

O Brasil precisa de muitas e urgentes mudanças. Começa pela responsabilidade, por evitar riscos e proteger a população. Temos muitas barragens que podem explodir, como a previdência, o gigantismo do Estado brasileiro, feito para servir a população e hoje se servindo dela, o custo Brasil que impede a competitividade das empresas brasileiras, o sistema político que exige reformas para garantir a democracia, direito constitucional.

Outro fato marcante desta segunda-feira. O presidente Jair Bolsonaro está em cirurgia, neste momento, para retirada da bolsa de colostomia. O vice, Hamilton Mourão, é o presidente em exercício. 

NESTA SEMANA TEM POSSE DOS DEPUTADOS ESTADUAIS, FEDERAIS E SENADORES

A semana que está começando tem eventos importantes, na próxima sexta-feira, dia 1º de fevereiro: A posse dos deputados estaduais, federais e senadores.

São 54 deputados. 32 foram reeleitos e 22 assumem novo mandato (40%). Destes, 21 são o primeiro mandato e o Delegado Recalcatti retorna à Assembleia.

45 deputados estaduais concorreram à reeleição e 32 se reelegeram (71%).

A curiosidade é o número de deputados ligados à segurança, o que cria uma “bancada da bala” na Assembleia Legislativa, formada por um coronel, Coronel Lee (PSL); quatro delegados, Delegado Francischini (PSL), Delegado Jacovós (PR), Delegado Fernando (PSL) e Delegado Recalcatti (PSD); um subtenente, Subtenente Everton (PSL) e por dois soldados, Soldado Fruet (PROS) e Soldado Adriano José (PV).

Por Maringá assumem o Dr. Batista (PMN), que se reelegeu; Homero Marchese (PROS), Do Carmo (PSL) e Soldado Adriano (PV). Da região assume Evandro Araújo (PSC), de Marialva.

Temos outros nascidos em Maringá, já falamos aqui, e outros nascido na região.

A bancada federal do Paraná na Câmara dos Deputados tem 30 deputados federais. Destes, apenas dois não foram candidatos e três concorreram a outros cargos (João Arruda, governador; Alex Canziani, senador; Fernando Francischini (PSL), deputado estadual). Dos 25 que concorreram, 15 foram reeleitos (60%).

Por Maringá, foram reeleitos Ricardo Barros (PP), Luis Nishimori (PR) e Enio Verri (PT). O novo deputado é o Gilson Fahur, o sargento Fahur (PSD), que foi o deputado federal mais votado do Paraná, com quase 315 mil votos. 

HORÁRIOS DAS POSSES

A posse na Assembleia Legislativa do Paraná será às 15 horas.

A posse na Câmara dos Deputados será às 10 horas.

A posse no Senado será às 15 horas.

Recebi do deputado federal Rubens Bueno (PPS), o seguinte cronograma:
- A sessão de posse dos deputados diplomados: 10h00;

- Prazo limite para formação de blocos parlamentares: 13h30;

- Reunião de líderes para escolha dos cargos: 14h30;

- Prazo limite para o registro das candidaturas: 17h00;

- Sessão preparatória para a eleição da Mesa Diretora: 18h00;

A Sessão Conjunta do Congresso Nacional para inauguração dos trabalhos legislativos será no dia 4 de fevereiro, segunda-feira, às 15 horas.

A sessão especial da Câmara Municipal de Maringá para posse dos suplentes Professor Niero (PV) e Dr. Jamal (PR), será às 19h30. Nesta sessão também acontecerá a eleição dos membros das comissões permanentes.

PRESIDÊNCIA NO PODER LEGISLATIVO

Com a posse dos deputados estaduais, federais e senadores será realizada a eleição para presidente da Câmara, do Senado e das assembleias legislativas.

No Paraná, o deputado estadual Ademar Traiano (PSDB) é candidato único a presidente da Assembleia Legislativa.

Na Câmara dos Deputados e no Senado a semana será de muitas conversas, pois vários deputados e vários senadores querem disputar a presidência das casas.

A maior oposição popular é mesmo contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (MDB). Mas ele não perde tempo e nem oportunidade. Afirmou pelo Twitter que a diretoria da Vale deve ser afastada e uma nova diretoria interventora deve ser nomeada após o rompimento de uma barragem pertencente à mineradora na cidade de Brumadinho (MG).

Um dos candidatos de oposição é o senador Alvaro Dias (PODE), do Paraná, muito ligado a Maringá.

O favorito para presidir a Câmara dos Deputados é Rodrigo Maia (DEM). O deputado federal Ricardo Barros (PP) é candidato avulso à presidência, em oposição a Rodrigo Maia. 

O CASO JEAN WYLLYS

Nós perguntamos aos ouvintes sobre a renúncia do deputado federal do PSOL do Rio de Janeiro. Os ouvintes, por unanimidade, acham que é muito bom que ele desista do mandato.

Para os nossos ouvintes a decisão foi dele, não existe nada que justifique a alegada violência contra ele.

Notícias da mesma editoria