Suspeito de atirar em namorada se apresenta à polícia

Crime

Suspeito de atirar em namorada se apresenta à polícia

Segurança por Fabio Guillen/GMC Online em 13/05/2020 - 17:09

O homem suspeito de atirar contra a própria companheira em Nova Esperança se apresentou à Polícia Civil acompanhado de uma advogada. Ele alegou que o tiro foi acidental, segundo o delegado que investiga o caso.

Naiara da Silva Pereira, 20 anos, morreu após levar um tiro no peito no dia 4 deste mês. Ela estava em casa com o companheiro. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito levou a namorada para o hospital, mas quando soube que ela estava morta teria fugido com alguns amigos, deixando o carro dele em frente ao Hospital Municipal de Nova Esperança.

Após passar o flagrante, ele se apresentou na última sexta-feira, 8, e disse ao delegado que foi um tiro acidental. Ele foi ouvido e liberado. De acordo com a Polícia Civil, o crime continua sendo investigado e mais pessoas devem ser ouvidas esta semana.

 

Naiara já tinha sofrido uma tentativa de feminicídio

 

A jovem Naiara da Silva Pereira já tinha sofrido uma tentativa de feminicídio em julho do ano passado, em Colorado. Naiara foi brutalmente agredida na cabeça com machadadas pelo ex-companheiro.

O suspeito foi preso em Maringá. Ele continua detido. Após o crime, Naiara se separou e voltou a morar com a família. A jovem se mudou há três meses para Nova Esperança, após começar a namorar novamente com um outro rapaz, o que é suspeito de ter atirado contra ela. Eles estavam morando juntos, segundo a polícia.

 

Família quer justiça

 

A mãe de Naiara, Neusa Cristina da Silva Pereira, disse ao GMC Online que está acompanhando as investigações e quer justiça. Ela disse que não conhecia muito bem o atual genro.

“É muito triste o que fizeram com minha filha. Ela não merecia isso. Estava tentando se reerguer de uma tragédia e aí me mataram ela. Eu quero justiça. Quero que o culpado pague pelo que fez. Ela deixou uma criança. Uma criança sem mãe meu Deus. Eu não conhecia esse rapaz direito”, disse.

Outro lado

A reportagem do GMC Online não localizou a advogada do suspeito.