Sanepar e Emater lançam programa estadual nessa quinta em Santa Fé
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

Sanepar e Emater lançam programa estadual nessa quinta em Santa Fé

Por Diniz Neto em 28/11/2018 - 14:22
Player Ouça o boletim

EMATER E SANEPAR LANÇAM PROGRAMA ESTADUAL

Será lançado nesta quinta-feira, dia 29, às 14 horas, em Santa Fé, o Programa Estadual de Destinação de Lodo de Esgoto. Será na Unidade de Referência Tecnológica (URT) da família Sussai, na zona rural do município de Santa Fé. O programa é uma parceria da Emater com a Sanepar.

Duas pessoas da região estão diretamente ligadas a este programa. O maringaense Ricardo Soavinski, hoje presidente da Sanepar, e que estará presente.

Detalhe: ele tem sido citado como um dos nomes da lista de Jair Bolsonaro para ser ministro do Meio Ambiente. O escolhido do presidente eleito será conhecido hoje, ou seja, talvez ele venha a Maringá e Santa Fé já na condição de ministro.

No evento deste dia 29 serão apresentados os bons resultados que a Unidade de Referência Tecnológica (URT) da família Sussai vem obtendo com a aplicação do lodo e manejo nutricional itinerante. Também será assinado o plano de trabalho pelo presidente da Sanepar, Ricardo Soavinski, e a Diretoria da Emater.

Que vai cuidar do programa em todo o estado é Ricardo Silva, doutor em Agronomia pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE), extensionista da Emater. Ele também é um dos idealizadores e coordenadores do Projeto Água Limpa, que reúne Emater, Sanepar e prefeituras.

O projeto protege as nascentes, usando tecnologia de solo-cimento, numa ação com baixo custo e facilmente replicável. Vários municípios estão participando do projeto, com grande mobilização para proteção das nascentes.

Organizações internacionais apontam para um número alarmante. No planeta, uma em cada seis pessoas não tem abastecimento de água adequado, o que representa 1 bilhão e 100 milhões de pessoas.

 MAIS PRAZO PARA RENOGOCIAÇÃO DE ICM E ICMS

A governadora Cida Borghetti encaminhou nesta terça-feira (27) à Assembleia Legislativa uma emenda que modifica o projeto de lei que estabelece condições gerais sobre a renegociação de dívidas tributárias com o Estado. A medida vai possibilitar ao contribuinte do ICM e ICMS o pagamento de seus débitos fiscais com percentuais de juros reduzidos e o aumento no número de parcelas. Agora, será possível parcelar as dívidas em até 180 meses.

 MUNICÍPIOS TENTAM FECHAR O EXERCÍCIO

Muitos municípios do Paraná estão com dificuldades para fechar o exercício de 2018.

O 13º salário é um dos grandes desafios, de prefeituras de municípios de todos os portes.

As recomendações da AMP que nós noticiamos aqui na CBN, são mais pertinentes do que nunca. A recomendação aos municípios é para que economizem, evitem aumentos de pessoal, equilibrem as contas. O alerta e as sugestões valem para o fim do e para o exercício de 2019, quando teremos novo governo federal, motivado a equilibrar contas, ou seja, a reduzir gastos, e um novo governo do Estado, que também deverá ter como meta o equilíbrio fiscal.

Ou seja, teremos tempos de menos recursos adicionais nos orçamentos municipais. A ordem é reduzir gastos, apertar os cintos.

 VERRI AVALIA IMPACTOS DO AUMENTO DO TETO SALARIAL DO FUNCIONALISMO

O deputado federal Enio Verri (PT), da Comissão Mista de Orçamento, cita as dificuldades atuais das contas para 2019: "No orçamento brasileiro, por conta da emenda constitucional 95, não cabem nem as políticas sociais. Verbas da Apae, verbas de inclusão social estão sendo cortadas. E vamos dar um aumento para o maior salário que existe hoje no país que é o do Supremo Tribunal Federal. É um equívoco. Outra: mesmo que o Supremo derrube o auxílio-moradia, o aumento que foi dado aos ministros é maior que o auxílio-moradia. Ou seja, eles tiveram concretamente um aumento real de salário."