Restrição à pesca de espécies nativas inicia na sexta-feira (1º)
Divulgação

Piracema

Restrição à pesca de espécies nativas inicia na sexta-feira (1º)

Por Carina Bernardino em 30/10/2019 - 17:30

E o período de piracema vai até março de 2020. Na lista de proteção estão os peixes bagre, dourado, jaú, pintado e lambari.

Player Ouça a reportagem

A piracema, período de restrição à pesca de espécies nativas no estado, inicia na sexta-feira, dia 1º de novembro. De acordo com o IAP (Instituto Ambiental do Paraná), na lista de proteção estão espécies como bagre, dourado, jaú, pintado e lambari. É que nestes meses, até março de 2020, é quando a maioria delas se reproduzem. A pesca de espécies consideradas exóticas, introduzidas no meio ambiente, como bagre-africano, carpa, corvina, peixe-rei, sardinha-de-água-doce, piranha-preta, tilápia, tucunaré e zoiudo, não entram na restrição. O chefe regional do IAP, Antônio Carlos Cavalheiro, explica que a proibição da pesca na bacia hidrográfica do Rio Paraná compreende o rio principal e seus formadores, afluentes, lagos, lagoas marginais e reservatórios. Ainda segundo ele, quem for flagrado pescando em desacordo com as restrições da piracema, irá cometer crime ambiental e será punido, inclusive com o pagamento de multa.

Nesta quarta-feira (30), o IAP divulgou que a multa em descumprimento da piracema é de aproximadamente R$ 700 por pescador e mais R$ 20 por quilo de peixe pescado. O infrator também terá os materiais de pesca apreendidos como varas, redes e embarcações. No período, além da pesca, o transporte e comercialização de peixes também serão fiscalizados. Assim como as competições de pesca, como torneios, campeonatos e gincanas. A restrição no estado acontece há mais de 15 anos. 

Notícias da mesma editoria