Reestruturações do BB e Itaú fortalecem agências digitais
Divulgação/EBC

Impactos

Reestruturações do BB e Itaú fortalecem agências digitais

Por Carina Bernardino em 30/07/2019 - 17:41

Bancos estimam atrair até 10 mil colaboradores com os planos de demissão voluntária. Sindicato dos Bancários de Maringá entende mudanças como ‘corte’ de funcionários e cobra a abertura de novos concursos para reparar a redução de vagas no setor.  

Player Ouça a reportagem

O Banco do Brasil e o Itaú Unibanco anunciaram nesta semana reestruturações que afetarão funções, agências e departamentos no segundo semestre deste ano. O Itaú lançou o PDV (Programa de Desligamento Voluntário) e o Banco do Brasil o PQA (Programa de Adequação de Quadro), ambos com planos de demissão voluntária. O BB oferta incentivos de R$ 20 mil a R$ 200 mil para os colaboradores que se demitirem voluntariamente. Já pelo Itaú, são dois pacotes de benefícios: pagamento de 0,5 salário por ano trabalhado (limitado a 6 salários) e manutenção do plano de saúde por 60 meses ou pagamento de 0,5 salário por ano trabalhado (limitado a 10 salários) e manutenção do plano de saúde por 24 meses. Com as medidas, os bancos estimam atrair até 10 mil colaboradores. Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Maringá, Claudecir de Souza, as reestruturações são ‘cortes’ de funcionários sem previsão de recontratações. 
 
As propostas divulgadas pelos bancos mostram um fortalecimento das agências digitais. No caso do Banco do Brasil, as mudanças incluem a criação de uma unidade que acompanhará o desenvolvimento de técnicas, ferramentas e inovações que utilizam soluções com inteligência analítica e inteligência artificial. O BB também anunciou que serão criadas 42 novas Agências Empresas (até outubro); transformadas 333 agências em Postos de Atendimento Avançado e outros 49 PAAs em agências. Em nota enviada à CBN, o Itaú informou que o objetivo é adequar as estruturas do banco à realidade do mercado. 

Notícias da mesma editoria