Por que pacientes com Covid-19 em leitos de UTI são deitados de bruços?
Imagem Ilustrativa | Foto: Geovana Albuquerde/Agência Saúde/DF

Tratamento

Por que pacientes com Covid-19 em leitos de UTI são deitados de bruços?

Saúde por Fabio Guillen/GMC Online em 19/12/2020 - 09:11

Muitas pessoas têm perguntado por que os médicos colocam os pacientes de bruços. Que técnica é essa? Fomos em busca de resposta com um médico coordenador de UTI em Maringá e também integrante da Coalização Covid Brasil, um grupo que estuda novas técnicas para salvar vidas na pandemia.

Durante a pandemia da covid-19 no Brasil várias técnicas têm sido usadas para tentar recuperar o máximo possível de pacientes que estão internados em hospitais.

Nas redes sociais circulam várias fotos de pacientes de bruços em UTIs pelo Brasil com frases de impacto para que as pessoas tenham consciência da gravidade que é ficar vários dias internados. E a dúvida que surgiu é justamente essa: por que os pacientes de covid-19 ficam de bruços nas UTIs? 

Segundo o coordenador da UTI adulto do Hospital Universitário (HUM/UEM), Edvaldo Vieira de Campos, a técnica se chama prona e consiste em virar o paciente de bruços para tentar melhorar a respiração. Campos é médico intensivista, doutor em Ciências Médicas e integrante da Coalizão Covid Brasil, grupo de pesquisadores no Brasil que busca técnicas e medicamentos para salvar pessoas na pandemia. [ouça no áudio acima]

Ainda segundo o médico intensivista e doutor em Ciências Médicas, a manobra é feita há muitas décadas, mas é preciso muita técnica para não colocar o paciente em risco. [ouça no áudio acima]

A técnica, que também pode ser chamada de pronação, foi recomendada em março deste ano pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para pacientes com covid-19 que sofrem de síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA). 

O médico Edvaldo Vieira de Campos garantiu que a técnica tem salvado muitas vidas no Brasil. Campos é integrante da Coalizão Covid Brasil e está sempre em busca de técnicas e tratamentos que possam salvar vidas na pandemia.