Para Alckmin, “O novo é enfrentar o corporativismo”
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20 (Foto: Letícia Tristão/CBN Maringá)

O Assunto é Política

Para Alckmin, “O novo é enfrentar o corporativismo”

Por Diniz Neto em 29/06/2018 - 14:30
Player Ouça o boletim

TEMPO Hoje estão faltando 100 dias para o primeiro turno das eleições 2018

 GERALDO ALCKIMIN EM MARINGÁ

Na ACIM, Geraldo Alckmin adiantou que o próximo presidente já herdará um déficit primário de R$ 130 bilhões.

Alckmin revelou que está trabalhando com a equipe de economistas que fez o Plano Real para encontrar soluções viáveis, sustentáveis e eficazes para a economia.

O pré-candidato disse que é preciso gerar empregos. Para isso é preciso crescimento econômico, que exige investimentos. Para obter recursos para investimentos é preciso credibilidade.

Alckmin alertou que o maior perigo para a economia brasileira é o populismo, que termina gerando desconfiança, falta de investimentos e recessão.

Geraldo Alckmin disse que o presidente será eleito com cerca de 70 milhões de votos e precisará fazer as reformas fiscal, política e previdenciária com rapidez, logo no começo do seu governo.

Para o pré-candidato tucano, é preciso reduzir o estado. Menos partidos políticos, menos senadores e deputados, menos gastos públicos em todas as frentes públicas.

Frase de Geraldo Alckmin: “O novo é enfrentar o corporativismo”.

Noticias Relacionadas