No orçamento, Prefeitura de Maringá prevê R$ 180 milhões de arrecadação com IPTU
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

No orçamento, Prefeitura de Maringá prevê R$ 180 milhões de arrecadação com IPTU

Por Diniz Neto em 03/12/2018 - 10:06
Player Ouça o boletim

IPTU 2019 DEVE CHEGAR HOJE À CÂMARA

A previsão é de arrecadar R$ 180 milhões em Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em 2019. A Prefeitura de Maringá deve enviar o projeto nesta segunda-feira, 3, à Câmara de Vereadores.

O desconto para pagamento à vista será menor. Para quem pagar o tributo à vista, até o dia 24 de janeiro, o desconto será de 10%. Neste ano de 2018, foi de 12%. Para os pagamentos a vista entre 25 de janeiro e 11 de fevereiro o desconto será de 7%. Em 2018 foi de 8% neste

ano.

A previsão de arrecadação para o ano que vem – R$ 180 milhões - é 28,57% maior que a de 2018, projetada em R$ 140 milhões até dezembro.

 

IPTU DE LONDRINA

Sobre o projeto de iniciativa popular que foi para a pauta da Câmara de Londrina, e que pretendia anular o reajuste da planta genérica de valores, aprovado em 2017, foi revogado e arquivado.

Agora alguns vereadores tentam reduzir a alíquota a ser cobrada pelo IPTU. Mas a tendência é de que os valores da cobrança sejam mantidos para 2019.

 

COLÉGIO MILITAR DE MARINGÁ

A diretora do Colégio Estadual João XXIII, Marceli Delgado, comemorou os R$ 3.521.000,00 liberados para reforma.

A escola passará a ser o Colégio Militar de Maringá.

O anúncio da liberação dos recursos foi feito na sexta-feira, na ACIM.

 

COMANDOS DA SEGURANÇA PÚBLICA

O general Luiz Felipe Carbonell, secretário de Segurança no governo Ratinho Junior, anunciou os nomes dos futuros comandos da Polícia Militar e da Polícia Civil.

Silvio Jacob Rockembach será o delegado-geral.

O coronel Péricles de Mato assumirá o comando geral da Polícia Militar.

O major Welby Pereira Sales será o Chefe do Gabinete Militar da Governadoria.

 

REFLEXOS DO G20

Terminou no sábado a reunião do G20, o grupo das maiores economias do mundo.

Talvez a gente pense que estas reuniões com chefes de estado não têm nada a ver com a gente, mas as decisões tomadas lá terão vários tipos de influência, nestes países.

A reunião teve um resultado melhor do que o esperado. O documento final foi sucinto, com apenas quatro páginas. Ponto central: necessidade de manutenção do Pacto de Paris, firmado para que os países adotem medidas contra o aquecimento global. Estados Unidos, China e Índia resistem a colaborar para o pacto.

A necessidade de revisão e modernização da Organização Mundial do Comércio (OMC), foi outra unanimidade.

Os chefes de estado também concluíram que é preciso mais rapidez nas suas decisões, diante de um planeta e de sociedades que se transforma a cada momento, com grande velocidade.

Educação, com ênfase para as meninas, para a redução da desigualdade da mulher, inclusão de jovens no mercado de trabalho. Há um documento com metas para isto, firmando em 2105, na França.

Há no texto do documento final a afirmação de que é preciso "maximizar os benefícios da digitalização e das tecnologias emergentes para um crescimento e produtividade, promover medidas para impulsionar micro, pequenas e médias empresas e empreendedores, corrigir o fosso digital e entre os gêneros e promover a inclusão digital, apoiar a proteção e melhorar o governo e a infraestrutura digital".

A citação da educação, das meninas e das micro e pequenas empresas, ao lado do empreendedorismo, é algo relevante, que acredito que é importante destacar.

 

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

O aquecimento global tem provocado mudanças climáticas. As tempestades têm chegado com ventos mais fortes. Neste fim de semana, Itaperuçu, na região metropolitana de Curitiba, foi parcialmente destruída por um temporal.

As mudanças climáticas parecem coisas distantes, mas no planeta estamos todos no mesmo barco.

 

RECURSOS PARA OBRAS IMPORTANTES

Na sexta-feira, a governadora Cida Borghetti e a sua equipe de governo anunciaram recursos para Maringá e região.

Estão garantidos, inclusive no orçamento do ano que vem, recursos para a construção do trevo do Catuaí. Para as obras são R$ 35 milhões. E foram liberados para R$ 15 milhões para as desapropriações de áreas que precisarão ser utilizadas na obra.

Outro anúncio importante para a região é o da duplicação Maringá-Iguaração. Há recursos no orçamento deste ano e de 2019 para o início das obras.

Ao longo da estrada estão localizados pontos para lazer e turismo e muitas empresas, inclusive um parque empresarial nas proximidades do Alphaville. A duplicação vai ajudar muito no desenvolvimento da região, ao longo da PR-317.