Mulher assume cadeira na Câmara de Maringá
Acompanhe O Assunto é Política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

Mulher assume cadeira na Câmara de Maringá

Por Diniz Neto em 14/08/2018 - 10:05
Player Ouça o boletim

TEMPO 14 de agosto, terça-feira. Faltam 54 dias para o primeiro turno das eleições 2018, no domingo, 7 de outubro. O último dia para registro das atas das convenções partidárias é 15 de agosto. Dia 16, quinta-feira desta semana, começa a campanha. A propaganda de rádio e TV terá início no dia 31 de agosto e vai até 4 de outubro. Se houver segundo turno, vai ao ar do dia 12 ao dia 26 de outubro. A eleição, no caso de segundo turno, acontecerá no domingo, dia 28 de outubro.

 

PROFESSORA VILMA ASSUME VAGA NA CÂMARA DE MARINGÁ

O vereador Mario Verri, do PT, é candidato a deputado estadual. E vai se licenciar, na próxima quinta-feira. Ele solicitou licença não-remunerada para se dedicar exclusivamente à sua campanha.

Com esta licença, a Câmara de Maringá terá uma vereadora, a professora Vilma Garcia da Silva. Ela é presidente da APP, em Maringá. Fez 1.886 votos.

Lembrando que no caso da eleição de Mario Verri a professora Vilma será vereadora em definitivo, com mandato até dezembro de 2020.

 

CARMEN INOCENTE É SUPLENTE DE MANTOVANI E BRAVIN

Carmen Inocente é a primeira suplente da coligação PP/PRTB/PPS. Flavio Mantovani (PPS) é candidato a deputado estadual. Belino Bravin (PP) está decidindo. No caso de licença dos vereadores para a campanha assumem Carmen Inocente, que fez 3.587 votos. No caso de licença dos dois vereadores, assume também Valdir Pignata (PP), que fez 1.469.

Carmen já foi vereadora. Valdir Pignata foi vereador e vice-presidente da Câmara, tendo assumido a presidência.

Falei com o vereador Flavio Mantovani agora pela manhã. Ele me disse que não decidiu ainda sobre uma eventual licença, nesta campanha.

O vereador Odair Fogueteiro, do PHS, também é candidato a deputado estadual. Seu suplente é Cristian Marcos Maia da Silva, conhecido como Maninho.

 

SUPLENTES DO PV E DO PR QUEREM VAGAS

Estão aguardando decisão da Justiça os suplentes Professor Niero (PV) e Dr. Jamal (PSL).

Niero é o primeiror suplente da coligação PDT/PV e o Dr. Jamal primeiro suplente da coligação PSDC/PTC/PSL/PSDB/PR.

Eles pleiteiam as vagas dos vereadores Homero Marchese, que deixou o PV pelo PROS, e Do Carmo, que deixou o PR e ingressou no PSL.

Homero Marchese tem um processo na Justiça em que pedia o desligamento do PV em razão do pedido de cassação do seu mandato, apresentado pelo PV municipal à Câmara Municipal.

Do Carmo afirmou que foi expulso do PR, situação que liberava para ingressar no PSL.

Com o falamos à época, se houve pedido dos suplentes, caberá à Justiça a decisão sobre as vagas.

Do Carmo é presidente do PSL em Maringá e candidato a deputado estadual. Homero Marchese é presidente do PROS em Maringá e também vai buscar uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná.

 

PRIMEIRA REUNIÃO DA CPI ABERTA PARA INVESTIGAR A TCCC

Começou às 8h30 a primeira reunião da CPI aberta para investigar a TCCC. A comissão é integrada pelos vereadores Alex Chaves (PHS) - presidente, Sidnei Telles (PSD) – relator, Chico Caiana (PTB), Carlos Mariucci (PT) e Jean Marques (PV).

A CPI deverá analisar: 1- as atuais condições econômicas da empresa Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC); 2- o procedimento licitatório, incluindo a composição tarifária inicial, por meio do qual foi concedido o serviço de transporte coletivo à empresa concessionária; 3- cláusulas do contrato firmado entre o município e a empresa concessionária do serviço; 4- composição do valor tarifário e sua relação ao equilíbrio contratual, considerando os eventuais investimentos da empresa; 5- a existência efetiva de razões para uma ruptura do contrato firmado entre as partes em questão.

Há muitas controvérsias em torno desta CPI. Faz pouco tempo que houve uma investigação sobre o transporte coletivo. O prefeito Ulisses Maia declarou que deseja revogar a concessão (ressalvando que vai aguardar o resultado da CPI).

A primeira medida foi solicitar documentos à empresa. A próxima reunião da comissão será na segunda-feira, às 13h30.

 

AGRO A Federação da Agricultura do Paraná (FAEP), presidida pelo maringaense Ágide Meneguette, realizou ontem, segunda-feira, dia 13 de agosto, Encontro de Lideranças Rurais, no Hotel Bourbon, em Curitiba. O evento teve a presença de três candidatos ao governo do Paraná.

 

JOÃO ARRUDA abriu a série de apresentações dos principais candidatos ao governo do estadual. Na oportunidade, Arruda destacou a proposta da FAEP de criação de um Grupo Estratégico do Agronegócio, com a coordenação direta do governador e participação de entidades do setor. “Muitas das propostas da FAEP serão adotadas no meu governo. No caso do Grupo Estratégico, teremos reuniões periódicas para debater ações vitais para o agronegócio”, ressaltou.

 

RATINHO JUNIOR foi o segundo a falar as lideranças rurais. Na ocasião, o candidato apresentou suas principais propostas para o agronegócio e também para outros setores, como a desburocratização dos processos para que os produtores tenham mais agilidade para produzir. “A principal função do governador é melhorar o relacionamento com os agentes de interesse, inclusive do agronegócio. Quero criar uma agenda de encontro com o ministro da agricultura a cada dois meses”, afirmou.

Ratinho surpreendeu quando afirmou que pretende transformar a Chácara do Canguiri, residencial oficial de lazer do Governo do Paraná, em um colégio agrícola baseado no conhecimento da produção digital, a chamada Agricultura 4.0.

"Nosso desafio será integrar todas as tecnologias disponíveis para continuarmos a ser protagonistas da produção e agropecuária e confirmar a vocação do Paraná de ser o maior produtor de alimentos do mundo". A propriedade tem 27 mil metros quadrados, pouco mais que um alqueire.

 

CIDA BORGHETTI fechou a série de apresentações dos candidatos ao governo do Estado, no evento da FAEP. A governadora fez um balanço dos 120 dias à frente da administração estadual, como o ofício encaminhado ao Ministério da Agricultura para a suspensão da vacinação contra a febre aftosa a partir de maio de 2019. Cida expôs as propostas para o agronegócio. “Precisamos voltar a estimular muitas áreas do Estado, como a infraestrutura e logística. Inclusive, isso é fundamental para o setor produtivo. Ainda, ampliar investimentos na defesa agropecuária do Paraná”, destacou. Cida defendeu, ainda, incentivo à novas agroindústrias onde a economia é mais frágil. “Onde a agricultura é forte a economia gera empregos, renda e oportunidades”.

Notícias da mesma editoria