MP recebe primeira denúncia eleitoral na história da UEM
Arquivo/CBN Maringá

Eleição para reitor

MP recebe primeira denúncia eleitoral na história da UEM

Por Luciana Peña em 28/09/2018 - 11:40

Um professor acusa a chapa 3, que venceu a eleição, de uso da máquina administrativa. A principal acusação é a entrega de um relatório de gestão da reitoria quatro dias antes da eleição.

 Atualizado às 12h55- a reitoria da UEM informa que não foi notificada sobre a denúncia e só irá falar a respeito após a notificação.

Atualizado às 16h00- a reitoria divulgou o seguinte comunicado: 

"A respeito da notícia veiculada na imprensa sobre o resultado do processo eleitoral para a Reitoria da UEM, até o presente momento não existe qualquer notificação oficial sobre o conteúdo da matéria, razão pela qual a UEM não tem condições de se manifestar. 

De qualquer modo, ressalta-se que o processo eleitoral, conduzido por Comissão Eleitoral constituída para este fim, proclamou o resultado da eleição com a vitória da CHAPA 3, composta pelos professores Júlio César Damasceno e Ricardo Dias Silva, sem qualquer contestação.
O Conselho Universitário, por sua vez, homologou por unanimidade o resultado, que consagrou a vontade soberana da comunidade interna da Universidade.
Corroborando todo o processo, por meio do Decreto n. 11.221, de 27/09/2018, publicado no Diário Oficial do Estado, os referidos professores foram nomeados, respectivamente, como Reitor e Vice-Reitor desta Universidade".

Player Ouça a reportagem

A eleição para reitor da UEM foi apertada. No segundo turno os professores Julio Damasceno e Ricardo Dias, da Chapa 3, saíram vencedores. Mas agora a poucos dias da posse da nova reitoria, em 10 de outubro, surge uma denúncia contra a chapa 3.

Segundo o denunciante, o professor Ilton de Carvalho Junior do departamento de Geografia, é a primeira denúncia de fraude eleitoral na história da universidade.

O caso foi levado ao Ministério Público que instaurou uma notícia de fato, primeiro passo para uma apuração. E o professor também ingressou com uma ação na Justiça comum. O professor Ilton que apoiou a chapa 2, segunda colocada na eleição, diz que a chapa 3 usou a máquina administrativa para conseguir votos.

O professor Julio Damasceno é o atual vice-reitor. Uma prova do uso da máquina administrativa seria um relatório de gestão entregue quatro dias antes da eleição.

A denúncia também foi enviada à Controladoria Geral do Estado, à Casa Civil do Governo do estado e à Secretaria de Ciência Tecnologia e Ensino Superior.

A reportagem entrou em contato com a reitoria e com o candidato da chapa 3 e aguarda um retorno.

A denúncia foi levada ao MP em 17 de setembro e a notícia de fato instaurada no dia 20.

Atualizado às 13h de 30.09- a denúncia, além do relatório de gestão, aponta impulsionamento pago de propaganda nas redes sociais e exoneração de servidores três meses antes da eleição.   

Documentos anexados à denúncia
Documentos anexados à denúncia