Motociclistas representam 66% das mortes no trânsito em Maringá
Foto: Letícia Tristão / CBN Maringá

Maio Amarelo

Motociclistas representam 66% das mortes no trânsito em Maringá

Trânsito por Letícia Tristão em 31/05/2022 - 11:26

Em todos os casos, a Semob identificou que os capacetes foram ejetados da cabeça do motociclista. Nas ruas, os motociclistas observam a falta de sinalização por parte dos condutores como o maior problema no trânsito. 

No início do ano até este mês, Maringá registrou 24 mortes em acidentes de trânsito. Desse número, mais da metade foram motociclistas, 16 mortes, o que representa 66% do total.
Normalmente, pelas estatísticas de anos anteriores, a situação se mantém. Os motociclistas são as maiores vítimas nos acidentes de trânsito. Na maioria das vezes, por imprudência e porque os motociclistas são os mais expostos aos danos que podem ser causados nas batidas. A frota de motocicletas em Maringá representa 18% do total de veículos na cidade.
Uma ação de encerramento do Maio Amarelo, mês de prevenção aos acidentes de trânsito, foi realizada pela Secretaria de Mobilidade Urbana nesta segunda-feira (31), com foco nos motociclistas, principalmente sobre o uso correto do capacete.
De acordo com o gerente de educação para o trânsito, Rafael Martins, dos óbitos registrados, todos os motociclistas tiveram o capacete ejetado da cabeça na hora da colisão. [ouça o áudio acima]
O Alisson Lima é motoboy, percorre o trânsito de Maringá todos os dias. Segundo ele, o maior problema que ele observa no dia a dia é a falta de sinalização por parte dos condutores. [ouça o áudio acima]