Moradoras de Mandaguari encontram dificuldades para vir a Maringá e atuar na saúde
Foto: Imagem meramente ilustrativa/Foto extraída de 'cidadeverdetransporte.com.br'

Transporte

Moradoras de Mandaguari encontram dificuldades para vir a Maringá e atuar na saúde

Paraná por Victor Simião em 07/04/2020 - 17:50

Devido à pandemia, só há dois horários de ônibus: um que vem; outro que volta. Cerca de 20 pessoas trabalham em outro momento, em que não há linhas disponíveis.

O texto da reportagem foi atualizado às 18h10 para adicionar o posicionamento da empresa  de transporte. 

Cerca de 20 pessoas que trabalham na área da saúde em Maringá têm tido dificuldades financeiras e de locomoção. O grupo mora em Mandaguari, município da região metropolitana, e o ônibus era o meio de transporte utilizado. Só que, devido à Covid-19, foi publicado decreto proibindo a circulação intermunicipal de transporte de passageiros. Mesmo assim, por meio de um acordo com a prefeitura e empresa, algumas linhas foram mantidas.

Desde o dia 23 de março, esses trabalhadores não têm mais disponíveis linhas da Viação Garcia à disposição. A  empresa é a responsável pelo transporte intermunicipal. Os funcionários da saúde têm feito o que é possível, mas, segundo eles, está difícil. 

Para eles, o trabalho ocorre entre 19h e 7h. A Viação Garcia oferta duas opções: 5h25 da manhã, sentido Maringá. Depois, volta a Mandaguari às 18h. Ou seja, sem horário para eles.

A técnica de enfermagem Marcia Damata utilizava o ônibus. Agora, tem de vir de carro, pegando a estrada. Ela entende a necessidade de isolamento, mas queria mais horários de transporte público.

Silvana Gomes também é técnica de enfermagem. Atualmente, o local em que ela trabalha segue depositando o vale-transporte, descontando 6% no salário. Desde o dia 23 de março, ela já gastou R$ 150 para vir trabalhar em Maringá, o que pesa no orçamento, segundo ela. 

A CBN procurou a assessoria de imprensa da Viação Garcia. Até o momento de fechamento da reportagem, não havia recebido resposta. 

Em relação à Prefeitura de Maringá, a explicação é que apesar de haver a proibição do transporte intermunicipal, na prática ele ocorre. O motivo, segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, é que esse entendimento de proibir ou não é do DER - o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná.  A ideia é que haja bom senso e só venha a Maringá quem trabalha em áreas essenciais. Segundo a Semob, cabe às empresas decidirem se colocam mais linhas ou não.

(atualização às 18h10): A empresa Viação Garcia enviou uma nota. Leia:

A Viação Garcia está seguindo as determinações do Decreto Municipal que retirou as linhas regulares de operação. Contudo, em alinhamento com a Prefeitura Municipal e com o Sindicato dos profissionais da saúde, a companhia disponibilizou alguns horários para atendimento exclusivo de agentes da área da saúde, segurança, setor alimentício e de produtos e serviços de gêneros de primeira necessidade na região metropolitana de Maringá, de acordo com os itinerários que seguem. As operações seguem o fluxo de passageiros:

Viagens de Ida:
05h20 - Nova Esperança – Maringá
05h55 - Vila Guadiana Mandaguaçu - Maringá
05h25 - Mandaguari - Maringá
06h05 - Marialva - Maringá

Viagens de retorno:
18 horas - Maringá - Nova Esperança
17h45 - Maringá - Vila Guadiana
18 horas - Maringá - Mandaguari
17h50 - Maringá – Marialva