Maringá não pode abrir mão do Tecpar
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

Maringá não pode abrir mão do Tecpar

Por Diniz Neto em 04/02/2019 - 10:01
Player Ouça o boletim

TECPAR FORA DE MARINGÁ?

Recebi algumas informações de que a unidade do Tecpar, programada para ser construída em Maringá, tem uma ameaça de não ser construída na Cidade Industrial.  

Esta possibilidade poderia estar sendo estudada pelo governo. Quero acreditar que a informação não seja verdadeira.

Há uma mobilização da ACIM, do CODEM e de outros setores da sociedade organizada para manter a unidade do Tecpar em Maringá, como está planejado e definido há quase uma década. A presença do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) foi uma das motivadoras do projeto do Parque Cidade Industrial de Maringá, que tem como base as indústrias tecnológicas, sendo a unidade do Tecpar uma das âncoras da Cidade Industrial.

Uma reunião do governador Ratinho Junior com lideranças empresariais de Maringá deve acontecer esta semana. 

GOVERNADOR EM MARINGÁ
A Prefeitura de Maringá anunciou que o governador Ratinho Junior estará em Maringá, nesta quarta-feira, 6 de fevereiro, às 14 horas, para a assinatura da ordem de serviço das obras de recuperação do Contorno Sul. A solenidade será realizada, às 14 horas, na rotatória do Jardim Cidade Alta (Praça Leone Antônio Fregonese).

Diz a nota da Prefeitura: “A intervenção emergencial do Contorno Sul antecede uma reforma integral e definitiva da via. As interdições serão parciais conforme o andamento das obras que têm prazo de 210 dias.” 

GUARDA MUNICIPAL

Recebi do secretário de Segurança de Maringá, Antônio Roberto dos Anjos Padilha, o coronel Padilha, convite para a apresentação da nova sede da Secretaria de Segurança e Guarda Municipal de Maringá. Será às 9 horas, na rua Fernão Dias, 680, Zona 9. 

SISMMAR FAZ VISITA DE FISCALIZAÇÃO À SEMUSP

O Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá, o Sismmar, tomou conhecimento de que os motoristas dos caminhões de coleta estão trabalhando em caminhões com cheiro de urina de ratos. Os caminhões teriam urina e fezes de ratos.

O sindicato fez uma visita à Semusp. Admitiu que outras reclamações já foram encaminhadas à administração.

O que ficamos sabendo é que um motorista estaria sendo considerado o líder da denúncia e que por isto seria transferido de setor.

Ora, se há um problema que afeta os servidores, algo que precisa ser resolvido em nome da dignidade dos servidores, e este problema é denunciado, o que tem que ser feito é a solução do problema, jamais uma punição a quem tem o direito de reclamar.

Vamos acompanhar esta situação. Acreditamos sinceramente que a informação de punição ao servidor é um engano. Todos os motoristas estão sofrendo com o problema e é necessário que a Semusp encontre uma solução urgente para atender a todos os motoristas. Qualquer um deles poderia ter denunciado e seria um direito de todos eles tornar pública uma situação irregular de trabalho.

VEREADORES

Os suplentes Jamal Ali Mohamad Abou Fares (PSL) e Cristiano Niero Atrath (PV) assumiram as cadeiras dos vereadores Paulo Rogério do Carmo (PSL) e Homero Marchese (PROS), que, por sua vez, assumiram suas cadeiras na Assembleia Legislativa. 

NÃO PARTICIPOU

Um vereador não participou da sessão, realizada na sexta-feira à noite. O vereador Francisco Gomes da Silva, o Chico Caiana (PTB), é adventista. Ele esteve na Câmara, cumprimentou os colegas, mas antes do pôr do sol, às 20h15, ele se retirou. É a mesma convicção religiosa do ex-prefeito Silvio Barros, que também não cumpria agenda do pôr do na sexta-feira até o pôr do sol de sábado.

Por falar em Chico Caiana, ele voltou a estudar Direito no ano de 2015, nas Faculdades Maringá. Ainda estava na presidência da Câmara e decidiu que iria se formar. Em 2018 ele concluiu o curso e agora, aos 54 anos, é bacharel em Direito. Sem dúvida é mais uma prova de disciplina e força de vontade. A história do Chico Caiana, da sua mãe, Dona Caiana, e irmãos, é repleta de lutas e histórias de coragem e superação.

Chico, quando adolescente, recolhia recicláveis no centro da cidade. À noite, passava em um restaurante, na Praça Rocha Pombo, onde o dono deixava separada comida que ele levava para a família.

Foi cobrador da TCCC, ainda muito jovem. E a história continua, com muita disciplina e desafios, até este, agora, que é voltar a estudar aos 52 anos e concluir o curso de Direito. 

TAMBÉM FOI À IGREJA

Outro vereador, Odair Fogueteiro, esteve na sessão, mas não apareceu na foto final, com todos os vereadores. Ele saiu minutos antes da última foto para participar da missa de posse do padre Vanilson dos Santos Rigon na paróquia Santo Expedito. A posse e a solenidade reuniu cerca de 15 padres e muitos diáconos da Arquidiocese.

Vanilson é irmão gêmeo do padre Vanderley dos Santos Rigon. Os dois foram ordenados: Vanilson, em 2014, e Vanderley, em 2016.

Vanderley está a frente da Paróquia Imaculada Conceição, em Floraí. 

ATENÇÕES DO PAÍS SE VOLTA AOS PODERES

Nesta segunda-feira, Executivo, Legislativo e Judiciário estão formalmente em ação no Brasil.

Os últimos atos ocorreram na sexta-feira, com as posses de deputados e senadores, no Congresso Nacional e nas assembleias legislativas. Também na sexta-feira aconteceu a sessão solene de abertura do ano judiciário, no Supremo Tribunal Federal.

Próximo desafio: organizar o Executivo e o Legislativo para as reformas urgentes que o Brasil precisa. 

SENADO

A eleição para a presidência do Senado não aconteceu na sexta-feira. A senadora Katia Abreu (PDT), aliada de Renan Calheiros, se “apossou” da pasta da Mesa Diretora e em meio a muita discussão e nervos a flor da pele, motivou a suspensão da sessão de eleição do presidente.

Uma decisão do ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo, determinou que a votação para a presidência do Senado deveria ser secreta.

Na eleição que se iniciou no sábado, mais confusão e bate boca. Mas a cereja do bolo foi a primeira votação, feita com cédulas. Apareceram na urna 82 votos, mas votaram 81 senadores.

A confusão continuou, outra votação foi iniciada. E depois que o senador Flavio Bolsonaro (PSL-RJ) declarou o voto em Davi Alcolumbre (DEM-AP), na segunda votação, Renan Calheiros (MDB-AL) pediu a palavra, criticou o processo eleitoral e renunciou a candidatura.

Nova discussão acalorada. Depois de muito bate-boca, a votação continuou e Davi Alcolumbre foi eleito com 42 votos – ele precisava de 41 para se eleger no primeiro turno da votação.

DEMOCRATAS ASSUME O COMANDO DO CONGRESSO

Com a eleição de Davi Alumbre, no senado, e a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ), o Democratas assume o comando do Congresso Nacional.

Uma vitória que teve em Onyx Lorenzoni, ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República um articulador atuante.

Pela proximidade de Onyx com o presidente Bolsonaro e pelo empenho dele em favor de Davi Alcolumbre, é possível dizer que as eleições dos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado eram as preferidas do presidente Jair Bolsonaro.

Nesta segunda-feira, 4 de fevereiro, o ministro da Justiça e da Segurança, Sérgio Moro, tomou café com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Apresentou a ele seu projeto para a segurança e o combate à corrupção.

Hoje ele apresentará os seus projetos aos governadores e secretários de Segurança e Justiça dos estados brasileiros.

As reformas que país precisa são muitas e são urgentes. 

Notícias da mesma editoria